Um homem, de 60 anos, morreu a 31 de janeiro, na sala de espera da urgência do Hospital de Beja, depois de ter esperado mais de três horas para ser observado por um médico, apesar de lhe ter sido atribuída uma pulseira amarela na triagem (caso considerado urgente), o que significa que devia ter sido atendido em menos de uma hora, segundo conta o Correio da Manhã.

A vítima, com residência em Beja, sofria de diabetes e foi-lhe diagnosticado há alguns anos hepatite C. Sentado numa cadeira de rodas, aguardou ser chamado das 17h30 às 21h00 horas, altura em que morreu junto ao irmão e à cunhada, que o acompanhavam. Na altura em que o doente estava a ser avaliado no gabinete de triagem, os familiares fizeram questão de informar o enfermeiro de serviço do estado clínico do paciente.

Os familiares da vítima fizeram uma reclamação por escrito à administração do Hospital de Beja. Na sequência desse contacto, o Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo informa que “foi instaurado um processo de inquérito no dia 5 de fevereiro de 2020″.

Este é o segundo caso conhecido de uma morte nas urgências de um hospital depois de horas de espera, em Fevereiro. Um homem, de 65 anos, morreu depois de ter sido recebido uma pulseira amarela e de ter aguardado seis horas no serviço de urgência do Hospital de Lamego.