Tudo começou quando Maria João Portal decidiu mudar de vida e criar um projeto familiar que juntasse o marido e as duas filhas. Esta psicóloga natural do Porto trabalhava nos recursos humanos de um banco há vários anos, mas no fim de 2017 viu uma oportunidade para colocar finalmente a criatividade em prática.

“Os presépios e as cascatas de S. João que o meu pai construía eram famosos, já a minha mãe via um vestido numa revista que gostava, comprava o tecido e replicava-o. Acho que herdei esse jeito para os trabalhos manuais, adorava desenhar e pintar”, conta Maria João, ao Observador.

A moda era um universo que a fascinava, especialmente os acessórios, como carteiras, cintos ou sapatos, que sempre fizeram parte do seu guarda roupa e tiveram um papel de destaque nos seus coordenados. Decidida a criar algo diferente, inspirou-se na tradição portuguesa para definir a “espinha dorsal” da marca Zanzibar.

“Uma das minhas memórias de infância é a chita de Alcobaça, um tecido em algodão tingindo com vários padrões, em colchas, almofadas e cortinas na decoração de uma quinta familiar onde passava férias. No entanto, este material é muitas vezes associado a peças mais populares e tradicionais, quis dar-lhe um toque sofisticado e moderno.”

À chita de Alcobaça juntou o burel, original da Serra da Estrela, conhecido por ser um material leve, duradouro e resistente à agua e a diferentes temperaturas. Desta combinação nasceram quatro modelos de carteiras — all day bag, trendy bag, evening day e love bag — das mais espaçosas e práticas para os dias agitados, às mais pequenas e cerimoniais próprias para um momento especial.

6 fotos

Tudo é produzido numa fábrica em São João da Madeira, assim como os dois modelos de chapéus que combinam os mesmos tecidos. Em breve Maria João quer explorar cores primaveris em novas referências e vai lançar peças de joalharia desenhadas por si.

“Teremos poucas quantidades, a oferta será em latão banhado a ouro e a prata e irá variar entre os chokers, os fios compridos com pendentes ou os anéis”, adianta, acrescentando que a inspiração étnica dará nas vistas e a produção será feita em Gondomar, cidade tradicionalmente ligada à ourivesaria.

O nome da recente marca nacional não foi escolhido ao acaso. Zanzibar, ilha do Índico, foi o destino onde a família Portal passou férias no ano passado e também o centro de uma rota comercial inaugurada pela navegação dos portugueses à Índia. “As naus de Vasco da Gama que ali aportaram trouxeram nos seus porões os tecidos leves e estampados que dariam origem às chitas de Alcobaça”, conta a responsável, que trouxe das praias da ilha alguns corais partidos que irão integrar os colares da futura coleção de joias.

A primeira coleção da Zanzibar começa nos 39€ e está disponível em exclusivo na Minty Square, uma plataforma online especializada em moda portuguesa, mas em breve terá direito a uma loja online própria.