Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tem o melhor maxilar de Batman, ainda que as suas aventuras com capa de morcego super-herói tenham sido um flop. É uma das partes de um dos mais bem sucedidos e duradouros bromances (amor entre amigos) de Hollywood, com Matt Damon. E apesar de uma carreira intermitente, sobretudo enquanto ator, as notícias sobre o fim da carreira de Ben Affleck têm sido muito exageradas. Sobretudo porque ele arranja sempre forma de voltar – e desta vez até volta com um filme que é precisamente sobre voltar.

O Caminho de Volta, o filme de Gavin O’Connor que estreia esta quinta-feira, 12 de março, marca o regresso de Ben Affleck ao grande ecrã enquanto verdadeiro foco das atenções de um filme – é ele o protagonista que arrasta toda a narrativa, Jack Cunningham, uma antiga estrela de basquetebol totalmente decadente, um alcoólico deprimido, que encontra uma nova oportunidade no convite para treinar a equipa do seu antigo liceu.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.