Os passes vendidos em maio na Área Metropolitana de Lisboa (AML) indicam uma retoma significativa em relação a abril, embora correspondam a apenas 30% da média dos passes adquiridos durante o primeiro trimestre deste ano, anunciou esta quarta-feira a AML.

De acordo com a área metropolitana, em maio foram vendidos 218 mil passes Navegante, segundo números provisórios obtidos pela análise dos carregamentos efetuados entre 26 de abril e 22 de maio.

Estes dados indicam “uma retoma significativa na utilização do serviço público de transporte de passageiros” na AML, já que em maio foram vendidos mais de 152 mil Navegantes Metropolitano (face aos 48 mil vendidos em abril) e 37.000 Navegantes + 65 (em abril tinham sido vendidos 13 mil).

De acordo com a AML, “o maior aumento percentual registou-se, contudo, nos passes Navegante municipais”, tendo sido carregados em maio “cerca de 23 mil passes Navegante Lisboa, o que significa um aumento de 481% relativamente a abril, e 7 mil Navegantes de outros municípios, o que corresponde a um aumento de 223%”. Em abril foram vendidos 4 mil passes Navegante Municipal Lisboa e 2 mil de outros Navegantes Municipais.

A venda de passes no primeiro trimestre de 2020 mantinha uma tendência de crescimento dos trimestres anteriores, face aos períodos homólogos de 2019, que foi quebrada em abril, com quedas nas vendas dos passes Navegante na ordem dos 91% (foram vendidos cerca de 67.700 passes), como consequência do estado de emergência e obrigatoriedade de confinamento.

Em janeiro tinham sido vendidos cerca de 716 mil passes Navegante (Navegante Metropolitano, Municipal, Família e +65), em fevereiro 716 mil passes e em março 724 mil.

A AML está a promover uma campanha de promoção e incentivo à utilização de transportes públicos de passageiros, com o lema “Seguramente, vá de transportes”, até junho.

A campanha salienta as novas medidas de segurança na utilização dos transportes públicos, como a utilização de máscara, limites de lotação dos veículos, compra antecipada de títulos, e as regras de limpeza, higienização e arejamento dos veículos segundo normas da Direção-Geral da Saúde.

Portugal contabiliza 1.342 mortos associados à Covid-19 em 31.007 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia, divulgado na terça-feira. Portugal entrou no dia 3 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à Covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.