A polémica em torno dos comentários de J.K. Rowling no Twitter parece estar para durar. Depois de ter chocado os fãs ao fazer pouco de um artigo sobre “a criação de um mundo pós-Covid-19 mais igualitário para pessoas com menstruação” e de ter passado a última semana a trocar tweets com eles, a autora de Harry Potter está agora a ser criticada por trabalhadores da editora que vai lançar a sua última história, The Ickabog.

Segundo noticia a The Bookseller, quatro ou cinco trabalhadores da Hachette, que ocupam várias funções dentro da equipa editorial, mostram-se desconfortáveis em continuar a trabalhar no projeto, com data de publicação agendada para novembro. Os trabalhadores terão partilhado as suas dúvidas numa reunião durante a manhã desta segunda-feira.

A situação levou o grupo editorial a emitir um comunicado, frisando que está muito entusiasmado por lançar o conto de Rowling e esclarecendo o que um trabalhador pode alegar ou não alegar para recusar um projeto. “A liberdade de expressão é base do mercado editorial. Acreditamos que toda a gente tem o direito a expressão o seu ponto de vista e crenças. É por isso que nunca fazemos comentários sobre as opiniões pessoais dos nossos autores e respeitamos o direito dos nossos trabalhadores a terem uma opinião diferente”, afirmou a Hachette.

“Nunca vamos obrigar os nossos trabalhadores a trabalharem num livro cujo conteúdo achei ofensivo por razões pessoais, mas estabelecemos uma clara distinção entre isso e recusarem trabalhar num livro porque não concordam com as opiniões de um escritor noutros campos que não a escrita, o que é contrário à nossa crença na liberdade de expressão.”

Apesar disso, fonte oficial da Hachette garantiu à Bookseller que a situação está a ser lidada com “empatia e compaixão” e que o grupo está a acompanhar “caso a caso”.

J.K. Rowling anunciou no final de maio que ia começar a disponibilizar gratuitamente num site próprio uma nova história a pensar nas crianças em confinamento a pudessem ler. Apesar de nunca publicada, o primeiro rascunho de The Ickabog tem mais de dez anos. A escritora tencionava publicar o “conto de fadas” depois de sair o sétimo volume de Harry Potter, mas acabou por se envolver noutros projetos e adiar a publicação.

Os primeiros capítulos de The Ickabog tiveram cinco milhões de visualizações nas primeiras 24 horas e foram lidos por utilizadores oriundos de 50 países. A versão em livro será publicada no Reino Unido em novembro.