Pouco tempo após o casamento da princesa Beatrice com o multimilionário Edoardo Mozzi, a família real britânica começou a divulgar as fotografias da cerimónia privada, inicialmente prevista para o dia 29 de maio, mas adiada devido à pandemia de Covid-19.

Além das imagens divulgadas nas redes sociais, a casa real confirmou que o vestido de noiva da princesa é, de facto, um empréstimo concedido por parte da rainha. Ou seja, Beatrice usou um vestido vintage, do designer Norman Hartnell, que pertence à coleção da monarca, o mesmo que terá sido usado por Isabel II na estreia mundial do filme “Lawrence da Arábia” em dezembro de 1962. O vestido com que Beatrice se casou, em seda tafetá e tom marfim, foi adaptado para a ocasião.

Mas os empréstimos não se ficaram por aqui, com a rainha a ceder temporariamente a tiara de diamantes que a própria usou no dia do seu casamento com o duque de Edimburgo, em 1947.

Os pais de Beatrice marcaram presença na cerimónia da última sexta-feira, mas nem o duque nem a duquesa de York aparecem nas fotografias tornadas públicas pelo palácio, ainda que o príncipe André, envolvido no escândalo protagonizado por Jeffry Epstein, tenha levado a filha ao altar. André, que abandonou as funções públicas em novembro do ano passado, tem optado por passar despercebido.

Os noivos optaram por uma cerimónia simples e o local escolhido para a troca de votos foi o Royal Lodge, onde Beatrice cresceu e que serviu de residência aos duques de York durante o casamento.

Segundo a BBC, esta terá sido a primeira vez que a rainha, de 94 anos, e o duque de Edimburgo, de 99, participam numa reunião familiar desde que o lockdown começou no Reino Unido.