Ao todo, a Proteção Civil registou 705 ocorrências em Portugal continental devido ao mau tempo. Entre as 00h00 de sexta-feira e as 08h00 de sábado, registou 555 sendo o distrito de Leiria o mais afetado com 143 casos, informou fonte da ANEPC. Entre as 08h00 as 17h00 registou mais 150.

Pedro Araújo, comandante da ANEPC, explicou que as ocorrências estão relacionadas com quedas de árvores (63), limpeza de vias (45) e inundações (23). Os distritos mais afetados são Leiria (37), Coimbra (31), Porto (23) e Lisboa (12.

Nos três primeiros, as ocorrências decorrem do aviso amarelo emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, explicou.

Em declarações à Lusa, Pedro Araújo, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) adiantou que a maioria das ocorrências da madrugada “devido às condições meteorológicas adversas” foram quedas de árvores (203), seguidas de 174 inundações, 88 quedas de estruturas e 82 limpezas de via.

“Temos a destacar o distrito de Leiria, que registou um total de 143 ocorrências, seguido do distrito de Lisboa com 135 e depois os distritos de Setúbal e Faro com 47 cada”, avançou.

De acordo com o responsável, para hoje, “do ponto de vista meteorológico há um desagravamento [das condições meteorológicas adversas]”.

Todavia, vamos manter os distritos de Braga, Porto, Vila Real, Viseu, Aveiro, Coimbra e Leiria em aviso amarelo para a precipitação, devido à sua persistência, que por vezes pode ocorrer de forma forte”, acrescentou.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica. Na sexta-feira, até as 18h00, tinham sido contabilizadas 309 ocorrências devido ao mau tempo, sendo o distrito de Lisboa aquele onde se assinalavam mais casos, com 113 ocorrências.

O maior número de ocorrências registadas até então foram pequenas inundações (129), seguidas de quedas de árvores (83) e queda de estruturas (37), tendo-se ainda verificado dois deslizamentos de terra. Entre as mais significativas, fonte da ANEPC destacou as inundações na cidade de Setúbal e de Beja e os “fenómenos estranhos relacionados com o vento” em Palmela (distrito de Setúbal).

Uma tempestade intensa atingiu na sexta-feira de manhã várias zonas da cidade de Beja e provocou a queda de mais de 100 árvores e danos em veículos e infraestruturas, disse à Lusa fonte dos bombeiros. Já no concelho de Palmela, um fenómeno de ventos fortes ocorrido na Estrada do Lau, provocou a queda de árvores de grande porte, de postes da EDP e fez danos em duas habitações.