Há 11 casos confirmados de Covid-19 na fábrica da Paladin, na Golegã, sendo que mais de 300 trabalhadores aguardam em casa o resultado dos testes. Até lá, a fábrica vai permanecer encerrada. Os 11 infetados não apresentam sintomas.

A empresa decidiu fechar as portas após a confirmação do primeiro caso de infeção, na passada sexta-feira. A fábrica Mendes Gonçalves, mais conhecida por produzir para a marca Paladin, é uma das maiores empregadoras da Golegã.

À Rádio Observador, a presidente da empresa explica que já foram testados todos os 348 trabalhadores. Alexandra Mendes Gonçalves explica que o encerramento da fábrica teve o intuito de evitar a expansão do vírus no município. “Neste momento a nossa maior preocupação é a saúde o bem-estar dos nossos colaboradores e da nossa comunidade, é nisso que estamos focados”, garantiu.

Paladin. “Fechámos a fábrica para evitar propagação do vírus”

A administração da empresa vai aguardar agora pelo resultado dos testes que devem ser conhecidos entre esta terça-feira e amanhã, de modo a determinar quando é que os colaboradores regressam ao trabalho (já se conhecem 50 testes negativos). “Há mais de seis meses que colocámos em marcha o nosso plano de contingência e várias medidas no sentido de evitar infeções e contágios dentro da empresa, como na terra. Isso tem-nos trazido até aqui. Seis meses depois tivemos o nosso primeiro caso”, relembrou.

O primeiro caso confirmado é um trabalhador que não vive no concelho, uma situação que deixa o presidente da Câmara Municipal da Golegã mais descansado. À Rádio Observador, José Maltez considera que não vai ser necessário fechar o concelho à semelhança do que aconteceu na Páscoa.

Surto na Paladin. “Não podemos entrar em pânico”

O autarca realça que os casos de infeção surgiram nos escritórios da fábrica, o que não levará a medidas extraordinárias: “Temos de saber gerir as situações em termos de saúde pública e em termos de controlo. Eram pessoas que não estavam no serviço de produção, mas nos escritório. Não me parece que isto exija medidas extraordinárias numa empresa que fez uma prevenção extraordinária”.

José Maltez realça que a situação no município está estável e que vai agora aguardar pelo resultado dos testes dos trabalhadores da fábrica para saber como proceder. A Câmara Municipal da Golegã está a acompanhar a situação na Fábrica, que já se encontra a colaborar com as autoridades de saúde.