O antigo ministro da Economia António Pires de Lima foi nomeado para ser o próximo presidente executivo da Brisa, passando assim a liderar aquela concessionária que gere 11 autoestradas em todo o país.

“É uma honra e um desafio ser CEO da Brisa num momento difícil para a economia portuguesa e mundial. Estarei focado na criação de oportunidades que venham acrescentar valor aos nossos stakeholders, incluindo o Estado português e todos os nossos clientes”, afirmou António Pires de Lima, citado em comunicado da Brisa.

A decisão foi avançada em comunicado pela Brisa, que adiantou ainda que o presidente do Conselho de Administração continuará a ser Vasco de Mello, presidente do grupo José de Mello.

A notícia da nomeação de António Pires de Lima surge na sequência de uma outra: a venda, por parte do grupo José de Mello, de 81,1% das ações da Brisa a um consórcio de investidores internacionais. Conforme especificado no comunicado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que dá conta da conclusão deste negócio, o consórcio que agora fica a deter mais de 4/5 da Brisa é composto por fundos de pensões de três países: Holanda, Coreia do Sul e Suíça.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com esta venda, o grupo José de Mello passa a deter cerca de 17% da Brisa.

No comunicado em que a venda foi avançada, o administrador do APG, um dos fundos de pensões envolvidos no negócio, refere que “o consórcio tem capital disponível para fazer o negócio crescer e espera investir mais de 1,2 mil milhões de euros nos próximos 15 anos”. Esse investimento, especifica, será para “manutenção e melhoria da rede rodoviária” e também para o “desenvolvimento de novas soluções de mobilidade”.