Nanú teve uma concussão cerebral e traumatismo vértebro-medular com perda de conhecimento, anunciou o FC Porto. Em comunicado, o clube indicou que o lateral foi transportado para o Hospital São Francisco Xavier e já está “estável e consciente”, assim como “orientado no tempo e no espaço”. Os dragões indicaram ainda que os exames realizados ao jogador de 26 anos não revelaram “alterações de gravidade clínica” mas Nanú vai permanecer sob observação no hospital.

“Os exames realizados ao luso-guineense no Hospital de São Francisco Xavier não revelaram alterações com gravidade clínica, porém, Nanú permanecerá em observação na unidade hospitalar lisboeta. Ainda antes de ter sido transportado de ambulância desde o Estádio do Jamor, Nanú recuperou os sentidos no relvado após um violento choque com o guarda-redes adversário no encontro entre o FC Porto e a Belenenses SAD”, completa a nota publicada no site oficial dos dragões.

Entretanto, e depois das críticas tanto de Sérgio Conceição como de Pepe à arbitragem de Fábio Veríssimo, também Francisco J. Marques reagiu ao lance que envolveu Nanú — e não só. “Um dia vão matar um jogador do FC Porto mas não vai acontecer nada, porque Fábio Veríssimo vai achar legítima defesa. E o que dizer do critério disciplinar? Nem todos são Palhinhas. A entrada de Calila, que já tinha amarelo, é duríssima, mas para o assistente Sérgio Jesus, ali mesmo à beirinha, nem falta foi. Esta gente não defende o futebol, nem a verdade. Quanto tempo de pausa esta arbitragem motivará a Fábio Veríssimo? (…) Isto hoje foi um fartar vilanagem”, escreveu o diretor de comunicação do FC Porto no Twitter, ao longo de três tweets diferentes, referindo novamente o caso do cartão amarelo de João Palhinha, algo que já tinha sido feito por Sérgio Conceição na flash interview.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR