O FC Porto criticou novamente a arbitragem de Fábio Veríssimo durante o jogo desta quinta-feira, no Jamor, contra o Belenenses SAD. Depois de Pepe e Sérgio Conceição já terem sido muito duros nas respetivas declarações na flash interview, o próprio clube aproveitou a newsletter diária para comentar mais uma vez a atuação da equipa de arbitragem liderada pelo juiz da Associação de Futebol de Leiria.

“Tudo começou com um penálti por assinalar sobre Taremi”, começam por dizer os dragões, acrescentando depois que ocorreram “faltas que deviam valer segundo amarelo ou vermelho direto e o penálti que ficou por marcar no lance que provocou a lesão de Nanú”. “O potencial impacto destes lances no resultado é evidente, e nem a má-fé dos que logo procuraram desvalorizá-los tem força para escamotear uma tão grande sucessão de atentados à verdade desportiva”, continua a newsletter.

Sérgio Conceição arrasa arbitragem: “É revoltante. Fomos enganados, fomos roubados aqui”. Nanú estava consciente e foi para o hospital

Já ontem, pouco minutos depois do final do jogo e no habitual resumo da partida que é sempre publicado no site oficial do clube, o FC Porto tinha adjetivado o fim do encontro como “lamentável”. “A primeira volta da Liga NOS terminou de forma terrível para o FC Porto. Os campeões nacionais regressam de Oeiras com dois pontos perdidos e com um jogador em falta. No final de uma partida com mais luta do que espetáculo, como indica o resultado (0-0) e como se antevia dado o péssimo estado do terreno, Nanú – que estava a ser dos melhores em campo – foi vítima de um atropelamento na área da Belenenses SAD que saiu impune. Para o nosso atleta e para o enfermo futebol português ficam os desejos de uma recuperação célere e total”, podia ler-se.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já no final do texto e depois de um breve resumo dos acontecimentos ao longo dos 90 minutos — que envolve também a eventualidade de um segundo amarelo a Diogo Calila, devido a uma falta sobre Corona –, os dragões voltam a criticar o árbitro. “A cinco minutos dos noventa, Zaidu rende Manafá e tem lugar o acontecimento que estragou definitivamente a noite portista: o guardião russo da formação do Jamor choca violentamente com Nanú e deixa o luso-guineense inconsciente dentro da sua área. Perante a angústia de todos em Oeiras, o ala de 26 anos foi transportado para o hospital de ambulância. Por sua vez, Fábio Veríssimo assinalou pontapé de canto e admoestou Marega com a cartolina amarela. Palavras para quê?”, termina o clube, que esta sexta-feira pode ficar a seis pontos da liderança se o Sporting vencer o Marítimo na Madeira.

Nanú teve concussão cerebral com perda de conhecimento mas está “consciente”. “Um dia matam um jogador e não acontece nada”, diz J. Marques

Entretanto, e para além das críticas que Francisco J. Marques também fez à arbitragem no Twitter, ainda durante a noite desta quinta-feira, foram muitas as demonstrações de apoio a Nanú: que sofreu uma concussão cerebral e um traumatismo vértebro-medular, passou a noite no Hospital São Francisco Xavier mas está “estável e consciente”. Praticamente todos os jogadores do FC Porto publicaram desejos de melhoras nas redes sociais, com destaque para o facto de grande parte usar as palavras “irmão” ou “meu irmão” — ou hermano e hermanito, no caso de Uribe e Marchesín — para se referir ao ala de 26 anos.

Também Kritsyuk, o guarda-redes russo de 30 anos que chocou contra Nanú, comentou o episódio nas redes sociais. Numa mensagem originalmente publicada em russo, o jogador que está no Belenenses SAD a título de empréstimo do Krasnodar começou por dizer que espera que “Nanú esteja bem, que se recupere, esteja completamente saudável e volte a estar em campo em breve”. “Vou orar por Nanú e pela sua família para que tudo fique bem com ele”, garante Kritsyuk, passando depois a explicar o momento do choque para responder aos “insultos” que diz ter recebido logo depois do final do jogo e através das redes sociais.

“Fui intercetar a bola. O Nanú, eu, mais o defesa, avançámos em direção à bola. Gritei que estava a jogar. Se o defesa saísse eu seria o primeiro a chegar à bola e tirava com os punhos (a repetição mostra claramente que os meus punhos estão logo atrás da perna do Bruno ). O Nanú viria a bater contra mim e a falta seria a nosso favor (a decisão do árbitro e do VAR de não marcar grande penalidade confirma as minhas palavras). O vídeo mostra isso. Eu não voei na direção do Nanú com as minhas mãos ou punhos, como pode parecer em algumas fotos ou de certos ângulos. Nanú foi contra mim e chocámos de cabeça. Não houve intenção maldosa nas minhas ações, apenas um momento de jogo. E eu poderia estar no lugar do Nanú, mas tive um pouco mais de sorte”, garante o guardião russo, que termina com a garantia de que decidiu escrever a mensagem para impedir os tais “comentários negativos”.

“Embora eu entenda que é assim que as pessoas expressam o seu amor pelo clube e preocupação com o jogador. Ninguém é culpado pelo que aconteceu. É um desporto. E, para minha grande pena, estas coisas às vezes acontecem! Que Deus conceda a Nanú saúde, paciência e força para sua família! Tudo de bom!”, conclui Kritsyuk, que entre 2013 e 2016 já tinha estado em Portugal, na altura ao serviço do Sp. Braga e do Rio Ave.