O Sporting anunciou oficialmente a renovação de contrato por mais uma época com Rúben Amorim, que fica assim com ligação ao conjunto leonino até junho de 2024 apenas um ano depois de ter sido apresentado em Alvalade.

O acordo ficou fechado esta semana, com negociações rápidas e fáceis perante a vontade de ambas as partes. E, acrescente-se, com subida de todos os valores em relação ao contrato assinado a 5 de março de 2020, que já rendeu até agora mais de três milhões de euros brutos ao técnico e que prevê o pagamento de um prémio de um milhão de euros em caso de entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões e de 2,3 milhões se a isso juntar o título.

Da parte dos leões, ficou assegurado o aumento da cláusula de rescisão de 20 para 30 milhões. Ao contrário do que foi comentado nos bastidores do futebol, ainda que sem confirmação oficial de ninguém, Rúben Amorim não recebeu até agora nenhuma proposta para a próxima temporada nem teve contactos de alguém capaz de bater a cláusula como aconteceu com o Sporting no último ano em relação ao Sp. Braga. Todavia, os responsáveis verde e brancos sabem que o técnico começa a ganhar interessados na Europa, sobretudo no mercado inglês.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Bruno de Carvalho, Benfica, Leonardo Jardim, oposição interna: a declaração de Varandas sobre Amorim, nas entrelinhas

Do lado de Rúben Amorim, as condições salariais serão também revistas. Prémios à parte, que serão aumentados, o treinador deverá ficar com um vencimento na ordem dos seis milhões de euros brutos por temporada (ou seja, três milhões líquidos), semelhante ao de Jorge Jesus no Benfica. Até neste aspeto em particular as conversas entre as partes foram céleres, sem entraves e chegaram a um bom porto. Contratado em março de 2020, tendo feito um jogo pelo conjunto verde e branco antes da paragem, Rúben Amorim orientou 11 encontros do Sporting em 2019/20, com seis vitórias, três empates e duas derrotas. Na presente temporada, em 29 partidas, leva 23 vitórias, quatro empates e duas derrotas, tendo assim neste fase uma percentagem de triunfos de 72,5% em 40 jogos.

Rúben Amorim quer um futuro mas não esconde passado: “Fanático do Benfica? Não. Sou profissional de futebol, sou fanático em ganhar”

“São momento diferentes, o momento do clube em si mudou, mas a ambição é a mesma. Temos mais certezas de que este é o caminho que temos a percorrer, mas há muito a fazer, daí assinar por mais anos. Sinto-me em casa e disse-o sempre. Desde a época passada, quando falhámos um objetivo, disse que fiz a opção certa. Muito mudou mas há tudo para fazer. Tenho a mesma ambição. E quero deixar uma palavra à equipa técnica, agradecer aos meus jogadores, porque foram eles que me possibilitaram esta oportunidade para continuar ligado ao Sporting. A mensagem é e será ‘Temos muito para ganhar, muito para fazer’. O caminho passa por títulos e por algo muito maior. Estou muito feliz, sinto-me em casa, é um enorme orgulho estar ligado ao Sporting”, comentou o técnico.

“Esta é a minha casa. Naquela altura estava-se a tornar a minha casa mas ainda era algo estranho. Estou mais tranquilo agora. As pessoas podem pensar o contrário mas também me sinto mais pressionado agora. Mas estou mais confiante, experiente, com um ano de trabalho e sacrifício. Foi um ano estranho para toda a sociedade. Agora o objetivo passa por melhorar, fazer as coisas melhores, melhorar a nossa forma de jogar, a Academia, todas as áreas do clube e eu sou uma pequena peça neste clube. Quero ajudá-lo a ser ainda maior. Cláusula de 30 milhões? Teria de confirmar se são 30 milhões e não confirmo nada do contrato. Os contratos são feitos de acordo com a confiança das duas partes. Enquanto estiver feliz no Sporting, não será razão de dinheiro, se me quiserem mandar embora é uma questão de me pagarem. Mas o projeto é a minha cara”, acrescentou Rúben Amorim.

A ideia dos responsáveis leoninos e do técnico entronca agora na consolidação do projeto que começou numa fase embrionária na parte final da época de 2019/20 e ganhou corpo na presente temporada. Embora continue a ser um assunto tabu em termos públicos, o Sporting acredita que estará na fase de grupos da Liga dos Campeões em 2021/22 e que essa subida ao maior palco europeu trará também outras responsabilidades. É por isso que, embora exista interesse em vários jogadores verde e brancos que foram valorizando no último ano, não seja previsível que saiam mais do que um/dois titulares, com o respetivo reforço do atual plantel e uma prioridade entretanto definida que nesta fase permanece como incógnita: segurar o médio João Mário a título definitivo.