Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Elena Duran é espanhola e chegou a Portugal há 12 anos para estudar comunicação, gestão e marketing. Apaixonou-se por Lisboa, ainda passou por Inglaterra e por Madrid, mas acabou por se enraizar na capital, onde trabalhou na multinacional Univeler até 2017. Por lá desempenhou várias funções ligadas ao marketing, às vendas e à comunicação de marcas, era uma profissional reconhecida e encontrava-se numa posição confortável, mas em 2018 decidiu despedir-se para se dedicar a uma coisa diferente.

“O meu pai era diretor numa escola pública e sempre foi uma pessoa ativa e muito dinâmica, mas com 60 anos reformou-se. Esse momento de paragem radical para ele deixou-me preocupada, acho que foi aí que despertei para uma sensibilidade e uma consciência maior sobre o envelhecimento da população. Muitos dizem que é o problema do século, mas vejo como um privilégio o facto de podermos viver mais anos e com melhor qualidade de vida”, explica Elena Duran em entrevista ao Observador.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.