437kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Carlão pede sinceras desculpas depois de polémica com tema do rapper Tekilla

Este artigo tem mais de 6 meses

O antigo vocalista dos Da Weasel aparece no vídeoclipe do tema, assim com Sam the Kid ou Xeg. "Quem me conhece sabe que não me revejo naquilo que ali foi expresso."

"Não imaginando que viesse a magoar alguém, a verdade é que o fiz", escreve Carlão
i

"Não imaginando que viesse a magoar alguém, a verdade é que o fiz", escreve Carlão

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

"Não imaginando que viesse a magoar alguém, a verdade é que o fiz", escreve Carlão

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Se tu não és mongoloide, deves ter autismo. Não quero saber de bandeiras, preconceito ou racismo.” É assim que começa o tema “Lendas”, do rapper Tekilla. E é essa mesma frase inicial que gerou polémica nas redes sociais e que já levou o músico Carlão a pedir desculpas públicas. O antigo vocalista dos Da Weasel aparece no vídeoclipe do tema, assim com Sam the Kid ou Xeg, embora não tenha tido qualquer participação na música ou na letra. O tema conta com a colaboração de Papillon.

“Apareço num vídeo de alguém que conheço e respeito há muitos anos. Fui para a sua gravação sem sequer ouvir a música, algo irrefletidamente, é certo, mas com a melhor das intenções”, escreve Carlão na sua página oficial de Facebook.

“Não imaginando que viesse a magoar alguém, a verdade é que o fiz e, mesmo não sendo a música e letra da minha autoria, peço as mais sinceras desculpas a todos aqueles que se sentiram ofendidos e incomodados pelas palavras ali ditas, nomeadamente aos amigos que tenho com filhos e/ou familiares afetados com o Síndroma de Down, autismo, ou qualquer doença física ou mental”, acrescenta o músico que pede para não ser julgado por um momento que não o define.

“Quem me conhece sabe que não me revejo naquilo que ali foi expresso. Quem não conhece, peço que não me julgue com base num episódio que não me define como pessoa”, conclui Carlão.

Foi há uma semana, na passada sexta-feira, 21 de maio, que o vídeoclipe foi lançado, com produção de Fred Ferreira e Pedro da Linha. Já conta com mais de 37 mil visualizações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.