O Iraque anunciou esta segunda-feira a detenção num país não identificado de um elemento do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) acusado de planear vários ataques suicidas, incluindo um atentado que fez centenas de mortos e feridos em Bagdad em 2016.

Membros dos serviços nacionais de informações iraquianos “conseguiram, através de uma heroica e complexa operação, deter o acusado Ghazwan al-Zobai [também identificado como Abu Ubaida Bagdad], uma das pessoas mais procuradas pelo sistema judicial iraquiano”, anunciaram as Forças Armadas num comunicado.

Posteriormente, os serviços nacionais de informações iraquianos precisaram que Ghazwan al-Zobai, que fugiu do Iraque e que era procurado há vários meses pelas autoridades, foi detido no âmbito de uma operação em cooperação com um país vizinho, cujo nome não foi avançado.

Na mesma nota, os serviços nacionais de informações referiram que Ghazwan al-Zobai foi transferido para o território iraquiano para ser julgado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O detido, segundo indicaram as mesmas fontes, esteve envolvido no atentado perpetrado a 3 de julho de 2016 que atingiu uma área comercial em Karradah, um bairro xiita localizado no centro da capital iraquiana, Bagdade.

O ataque teve lugar durante as festividades do Ramadão, o mês sagrado e de jejum muçulmano.

Nesse dia, Ghazwan al-Zobai teve a tarefa de acompanhar e de transportar o suicida que iria detonar o carro-bomba no local, provocando a morte de cerca de 300 pessoas e ferindo outras 250.

A justiça iraquiana também acusa Ghazwan al-Zobai de planear e de participar em outros quatro atentados entre 2016 e 2017 em Bagdad, todos com recurso a carros armadilhados, preparados pelo próprio, e detonados posteriormente por operacionais suicidas.

De acordo com os serviços de informações, que não forneceram detalhes sobre o processo de transferência de Ghazwan al-Zobai para o território iraquiano, o acusado reconheceu, durante os interrogatórios, ter cometido ataques também em Mossul, cidade no norte do Iraque que teve sob o controlo dos jihadistas do EI entre 2014 e 2017, antes de ir para Bagdade.

Em poucos dias, os serviços de informações iraquianos conseguiram deter dois importantes operacionais do grupo extremista EI.

Na passada segunda-feira, o primeiro-ministro do Iraque, Mustafa al-Kadhimi, anunciou a detenção de Sami Jasim al-Jaburi, responsável pelas finanças do grupo extremista, no seguimento de uma “complexa operação externa”.