Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia.

    Este liveblog vai ser arquivado, mas já abrimos um novo para acompanhar as notícias relativas à pandemia da Covid-19 ao longo desta sexta-feira.

    OMS reúne-se hoje para avaliar gravidade de nova variante do coronavírus detetada no Botswana e na África do Sul

  • Vem de carro para Portugal a partir de 1 de dezembro? Vai precisar de um teste negativo

    Tal como acontece por via aérea, todos os passageiros que entrem em Portugal por via terrestre, fluvial e marítima vão precisar de um teste negativo, além do certificado digital.

    Vem de carro para Portugal a partir de 1 de dezembro? Vai precisar de um teste negativo

  • Quais são as medidas restritivas dos países europeus contra a Covid-19?

    A subida de novos casos de infeção de Covid-19 na Europa levou vários países a recuperar medidas de restrição à circulação dos cidadãos, mesmo em países com taxas de vacinação altas.

    Quais são as medidas restritivas dos países europeus contra a Covid-19?

  • Rio concorda com medidas: "Devemos tomar medidas no sentido de nos defendermos da pandemia"

    Rui Rio, presidente do PSD, considerou ser uma realidade que a “pandemia está a crescer” e que por isso o Governo devia ter avançado com as medidas como o fez hoje.

    “Devemos tentar não prejudicar a economia, ensaiando medidas mais suaves que nos defendem da pandemia sem agredir muito a economia”, referiu o líder social-democrata.

    Em entrevista à SIC, Rio diz também que se deveriam “evitar medidas pesadas de confinamento”, tal como aconteceu.

  • Fronteiras terrestres e marítimas com as mesmas regras do que as aéreas: é necessário um teste além do certificado para entrar em Portugal

    Todos os viajantes que entrem em Portugal por via terrestre, marítima e fluvial terão, à semelhança do que acontece por via aérea, de apresentar um teste negativo à Covid-19, além do certificado digital, a partir do dia 1 de dezembro.

    “Determina-se a aplicação, com as necessárias adaptações, às fronteiras terrestres, marítimas e fluviais das regras aplicáveis à entrada em território nacional por via aérea”, lê-se em comunicado publicado esta noite pelo Conselho de Ministros.

  • Vacinação terá evitado a morte de mais de 14 mil portugueses com mais de 60 anos, indica estudo

    Segundo um estudo da OMS e da ECDC, a vacinação contra a Covid-19 evitou a morte de mais de 14 mil portugueses e de milhares de europeus com mais de 60 anos. “As vacinas fazem o que prometem.”

    Vacinação terá evitado a morte de mais de 14 mil portugueses com mais de 60 anos, indica estudo

  • Associações de Discotecas com "muitas dúvidas" sobre novas regras

    Associações de discotecas concordam com a dupla certificação, desde que o teste tenho uma valência semanal e não apenas para uma noite específica, mas repudiam fecho no início de janeiro.

    Associações de Discotecas com “muitas dúvidas” sobre novas regras

  • Crescimento de pandemia na Bélgica superior a previsões mais pessimistas

    Alexander De Croo reunirá de emergência na sexta-feira de manhã com os dirigentes das entidades federadas para decidir novas medidas de combate à pandemia.

    Crescimento de pandemia na Bélgica superior a previsões mais pessimistas

  • Marcelo considera "muito equilibradas" novas medidas para mitigar pandemia

    Exemplos do equilíbrio descrito pelo Presidente da República são “o teletrabalho” e “aquela ‘semana de nojo’ entre o fim do ano e o recomeço da atividade, quer escolar, quer lúdica”.

    Marcelo considera “muito equilibradas” novas medidas para mitigar pandemia

  • Nova variante do Botswana leva Reino Unido a restringir viagens de África

    O secretário de estado da saúde do Reino Unido, Sajid Javid, afirmou que, na próxima sexta-feira, seis países serão adicionados à lista de destinos interditos, proibindo temporariamente voos, devido a uma nova variante.

    Como destaca a BBC, especialistas descrevem a nova variante, proveniente do Botswana e conhecida por B.1.1.529, como “a mais grave que vimos até agora.”

    Nova variante da Covid-19 descoberta no Botswana com um número “extremamente alto de mutações”

    Javid aponta ainda que os cientistas estão “muito preocupados” com esta nova mutação do vírus SarsCov2, mas que ainda necessitam de obter mais conhecimento sobre a mesma.

    Até agora, foram apenas registados 59 casos da variante em questão, na África do Sul, Hong Kong e Botswana.

    Todos os voos vindos da África do Sul, Namíbia, Zimbabwe, Botswana, Lesotho e Eswatini serão suspensos.

  • Férias de Natal prolongam-se até 10 de janeiro e regresso às aulas pode acontecer com crianças já vacinadas

    Se tudo correr de feição — o Comité Nacional de Vacinação alinhar com a EMA e aceitar vacinar crianças acima dos 5 anos —, Portugal poderá ter os mais novos vacinados antes do regresso às aulas.

    Férias de Natal prolongam-se até 10 de janeiro e regresso às aulas pode acontecer com crianças já vacinadas

  • Governo está pronto para vacinar crianças, mas ainda falta reforçar vacinação de centenas de milhares de idosos

    António Costa anunciou que, a haver luz verde da DGS para vacinar crianças, o processo pode começar ainda este ano, a 20 de dezembro. Na última sexta-feira ainda faltava vacinar um milhão de idosos.

    Governo está pronto para vacinar crianças, mas ainda falta reforçar vacinação de centenas de milhares de idosos

  • República Checa decreta estado de emergência para travar pandemia

    “O país encontra-se num grau de perigo que requer um maior grau de segurança”, argumentou Andrej Babis para justificar o estado de emergência, medida que já esteve em vigor em março de 2020.

    República Checa decreta estado de emergência para travar pandemia

  • Teletrabalho é medida “desproporcional”, defende CIP

    O teletrabalho é uma medida “desproporcional” em relação ao objetivo, disse à Lusa Armindo Monteiro, um dos vice-presidentes da CIP — Confederação Empresarial de Portugal.

    “Não posso ignorar que estamos com muitos casos e eles cresceram de forma exponencial, mas também não podemos ignorar que somos dos países mais vacinados e, por isso, a CIP não pode concordar com esta medida”, indicou, referindo que estão a ser “expiados os pecados do que aconteceu no Natal do ano passado”.

    Armindo Monteiro salientou que há um “cuidado que parece excessivo”, visto que há um ano não havia “o nível de vacinação que há hoje e que impede a doença grave e muito grave”.

  • Novas medidas são “motivo de preocupação acrescida”, afirma AEP

    O presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), Luís Miguel Ribeiro, disse hoje que as novas medidas, aprovadas pelo Governo, para conter a pandemia são “motivo de preocupação acrescida” e que podem afetar o consumo no Natal.

    “As novas medidas exigem que haja alguma clarificação relativamente à sua aplicação e aos setores de atividade aos quais” são dirigidas, salientou, em declarações à Lusa.

    Acerca do teletrabalho “é preciso perceber de que forma e em que setores será aplicado”, referiu, apontando que a escola só vai começar “a partir de 10 de janeiro e quem tiver filhos mais novos terá de tomar conta deles”.

    “Temos ainda a questão do impacto emocional”, referiu, sublinhando que havia uma sensação “de que teríamos ultrapassado isto e afinal temos aqui um desafio pela frente”.

  • Líder do CDS-PP critica “campanha de medo” que está a “matar a economia”

    O presidente do CDS-PP defendeu hoje que os portugueses são responsáveis e considerou que as novas medidas no âmbito da pandemia de Covid-19 constituem uma “campanha de medo” que está “a matar” a economia.

    Não seguimos nem acompanhamos esta campanha de medo que está a matar a nossa economia cada vez mais, uma vez que, se olharmos para o aumento do número de infetados, constatamos também que eles não têm um impacto preocupante no número de internamentos nem no número de mortes”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos.

    O líder centrista falava à agência Lusa e à RTP à margem de uma conferência comemorativa do 25 de Novembro de 1975, na Amadora (distrito de Lisboa).

  • Confederação dos Serviços diz que teletrabalho obrigatório "perturba" empresas, mas compreende decisão

    João Vieira Lopes, líder da confederação que representa o setor dos serviços e do comércio em Portugal (CCP), diz que a implementação do teletrabalho obrigatório de 2 a 9 de janeiro “prejudica” as empresas e “perturba o funcionamento” destas, mas compreende a medida, que “tem uma lógica de saúde pública”.

    Vieira Lopes refere que as perturbações podem ser ao nível da “gestão dos tempos de trabalho e dos objetivos”. Já um eventual prolongamento da obrigatoriedade “teria efeitos mais significativos” para as empresas.

    Quanto à recomendação do teletrabalho a partir de 1 de dezembro, o patrão dos serviços defende que a adoção do regime pode ser muito “assimétrica” e que vai depender da “perceção do risco” de cada empresa.

  • Associação de Marcas de Retalho e Restauração quer regresso do lay-off simplificado

    A Associação de Marcas de Retalho e Restauração (AMRR), liderada por Miguel Pina Martins, reclama novos apoios face à perspetiva de diminuição de tráfego nas unidades comerciais e nos restaurantes com as novas medidas anunciadas.

    Em declarações ao Observador, Miguel Pina Martins começa por mostrar preocupação “pelo que aí vem”, nomeadamente vendo o que se passa noutros países como a Áustria, Alemanha e Holanda. E assume que as medidas anunciadas são mais gravosas do que a expectativa que a associação tinha, nomeadamente o fecho das escolas até 10 de janeiro e o teletrabalho obrigatório no início de janeiro.

    Realça ainda a imposição de certificado ou teste negativo no acesso aos restaurante, o que, no seu entender, vai afastar as pessoas destes locais. Irão também vender menos refeições, no seu entender, por causa da menor circulação de pessoas, com o teletrabalho obrigatório no início de janeiro e recomendável a partir de 1 de dezembro.

    São medidas, diz, que “condicionam” as pessoas e dificultam as entradas em restaurantes e eventos.

    “Não estávamos à espera de tantas medidas para já”, realça, lamentando que os setores representados pela associação estejam a ser “altamente sacrificados”. E por isso reclama uma partilha de sacrifícios, nomeadamente pelo retomar de apoios que já estiveram em vigor noutras vagas, como o lay-off simplificado e o apoio às rendas.

    E daí que Pina Martins assuma a possibilidade de pedir uma reunião com o Ministério da Economia.

  • Madeira regista 56 novos casos e um total de 619 infeções ativas

    A Madeira registou esta quinta-feira 56 novos casos de Covid-19 e 44 recuperações, indicou a Direção Regional de Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é agora de 619, com 57 doentes hospitalizados.

    Em relação aos 619 casos ativos, dos quais 41 são importados e 578 de transmissão local, a direção regional informa que 57 pessoas estão internadas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, quatro delas em cuidados intensivos, e 52 cumprem isolamento numa unidade hoteleira dedicada, permanecendo as restantes em alojamento próprio.

  • Madeira vai começar a vacinar crianças a partir do final de dezembro

    Após o parecer favorável da EMA, a Madeira anunciou que vai começar a vacinar crianças dos 5 aos 11 anos, apesar de no continente as autoridades de saúde ainda não terem tomado uma decisão.

    Madeira vai começar a vacinar crianças a partir do final de dezembro

1 de 6