Obituário

Morreu Vitor Silva Tavares, editor de várias gerações de poetas

332

Foi escritor e poeta, mas sobretudo editor. Era um dos últimos rebeldes, pai dos maiores poetas portugueses dos últimas décadas. Vitor Silva Tavares morreu hoje vítima de uma infeção generalizada.

Vitor Silva Tavares foi uma figura incontornável da cultura portuguesa nos últimos 50 anos

Steven Governo

Autor
  • Joana Emídio Marques

Vitor Silva Tavares, editor da mítica &etc, responsável pela publicação de nomes como Herberto Helder, Adília Lopes ou João César Monteiro, morreu esta segunda-feira de manhã em Lisboa. Tinha 78 anos.

Nascido na Madragoa, em 1937, Vitor Silva Tavares estava há cerca de uma semana e meia internado no Hospital de Santa Maria devido a uma infeção que se generalizou e que os médicos não conseguiram controlar. Menino prodígio, que escreveu o primeiro poema aos 6 anos, era filho de um marinheiro que desapareceu e foi criado numa casa pobre com uma avó carismática, que o conseguiu colocar numa escola digna da sua inteligência aguda e alegre.

Fez-se editor, mas a sua grande, e nunca concretizada paixão, era o cinema. Os seus primeiros trabalhos jornalísticos foram como crítico de cinema. Mas foi como editor de Herberto Helder, João Cesar Monteiro, Artaud, Sade, e tantos outros excêntricos, malditos, que acabou por se destacar. A &etc, que fundou em 1974, mais do que uma editora era um esteio ético que será insubstituível para a cultura portuguesa.

O funeral de Vitor Silva Tavares será uma cerimónia privada só para familiares e amigos e ainda não tem data marcada.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Obituário

Em memória de Rogério Martins (1928-2017)

Camilo Martins de Oliveira
144

A recordação de grandes figuras do nosso passado deve servir-nos para ajudar a pensarmos na vida. Rogério Martins não precisa de que eu lhe escreva estas linhas. Nós é que precisamos de pensar com ele

Obituário

O poder da bondade

Laurinda Alves
9.467

Francisco Varatojo morreu no fundo do mar, onde mergulhou tantas vezes para percorrer as profundezas em silêncio, naquele espanto mudo com que admirava e absorvia as maiores belezas que podia conhecer

Obituário

Um dos mais brilhantes de uma geração pioneira

João Moreira Rato
145

Conheci Miguel Beleza só nos últimos anos e ainda tive a oportunidade de usufruir do seu humor fino. E continuei a ouvir dos seus pares: “É uma das inteligências mais brilhantes da minha geração”.

Obituário

Custa-me acreditar que tenha partido tão cedo

Aníbal Cavaco Silva
451

Miguel Beleza serviu Portugal com grande competência, ajudando-o a vencer as crises financeiras por que passou e a dar passos decisivos para que acompanhasse o aprofundamento da integração europeia.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site