Logo Observador
Fotografia

A Islândia em todo o seu esplendor

709

Encontrou muita chuva, milhares de mosquitos e muito frio. Mas ainda assim não resistiu aos encantos da Islândia. Conheça as fotos de Jakob Polomski das maravilhas do gelo.

Jakub Polomski

Da Islândia já conhecíamos os glaciares e os vulcões ativos, o gosto por peixe fresco, a cultura viking e até a voz de Bjork. Agora, o fotógrafo polaco Jakub Polomski viajou até ao país dos e contou ao Boredpanda como foi a experiência.

“Apaixonei-me pela Islândia, mas é uma relação complicada”, começa por dizer o artista de 30 anos. As paisagens são, a seu ver, incontornáveis e o local ideal para quem gosta de fotografia. Mas há aspetos que tornam aquele que foi considerado o país mais pacífico do mundo (um título que lhe foi atribuído em 2014) num desafio.

Um dos aspetos apontados por Polomski é o clima: “Se calhar foi só a minha sorte, mas a maior parte do tempo que estive lá está ventoso, chuvoso e até frio para um mês de julho”, descreve o polaco. É por isso que Polomski aconselha a quem se aventurar por terras islandesas que alugue um carro com tração às quatro rodas, que o pode proteger mais de uma noite chuvosa do que uma tenda. Quanto há fotografia, este artista admite que existem alguns obstáculos: “Há lugares e períodos com milhares de mosquitos a voar por cima de ti e da câmara”, conta ele. Outro incómodo: o cheiro sulfuroso do ar, devido aos vulcões.

Ainda assim vale a pena: “Num sítio tão pequeno pode ver-se o oceano, a costa, fiordes, montanhas, glaciares, cascatas, rios, lagos, vulcões, águas termais e campos de lava. É como um campo de treino para um fotógrafo de paisagens”.

Para encontrar mais imagens deste artista procure-o no Facebook ou explore o site de Jakub Polomski.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.