Logo Observador
Turismo

The Guardian destaca Costa de Prata nas sugestões de viagem

1.226

O The Guardian visitou a costa portuguesa entre Lisboa e Porto e não poupa elogios. Praias inigualáveis, cidades e aldeias históricas e pessoas amáveis, são alguns dos destaques que o jornal faz.

A reportagem do The Guardian, que passou pelo litoral do centro do país, faz largos elogios às naturais paisagens de que aquela região dispõe

ESTELA SILVA/LUSA

O The Guardian passou pela costa portuguesa entre Porto e Lisboa e não poupou elogios ao que descobriu ao longo do litoral nesta zona no centro do país. Praias inigualáveis, cidades e aldeias históricas e pessoas adoráveis, são alguns dos destaques que o jornal faz questão de realçar, colocando assim a Costa de Prata entre os segredos da Europa que valem uma visita.

O artigo do The Guardian, publicada em jeito de crónica e sugestão de viagem, deixa largos elogios às naturais paisagens que aquela região apresenta. O jornal britânico diz mesmo que quase se assemelha ao norte de África, seja pelas palmeiras, pelas densas dunas ou pelo Atlântico por que está rodeado. A publicação britãnica elogia ainda a “pouca gente”, o que na verdade acaba por ser um “privilégio”, tal como citado no jornal.

Aveiro é o ponto de partida e o destaque. Aqui, as praias têm todas nome e uma extensão sem fim, com muita areia branca, cercada por um Atlântico – um oceano que, segundo o artigo, é um mar ótimo tanto para surfistas como para os que gostam de caminhar à beira mar, aproveitando o ar puro.

A rota segue até ao norte de Aveiro, até à Reserva Natural das Dunas de São Jacinto. O pinhal entre a praia e a lagoa ou a frota de barcos pintada “em cores de carnaval” não passam despercebidos. Nem mesmo as pessoas “amigáveis”. Uma “divertida” pescadora lançou a sugestão de os repórteres não deixarem de provar pescado e marisco típicos. O destaque acabou por ir para o restaurante Onda Sol, que cumpriu essa sugestão. Mais longe na Cidade de Murtosa, o destaque é a fábrica e museu de peixe enlatado.

No centro da cidade de Aveiro, são vários os elogios à “Veneza portuguesa”. Está repleta de arquitetura “sedutora” e “nova”, bares e restaurantes. A colmatar, só mesmo os ovos moles e os sorvetes, igualmente destacados.

A sul, a seis quilómetros, o destaque vai para a praia da Barra. Aqui o litoral é distinguido pelo grande farol rosa e pelas casas de palha, outrora casas de pesca.

A publicação realça mais “cinco pérolas escondidas da costa portuguesa“, além da Costa de Prata.

  1. A Ilha Rochosa, em Peniche, uma cidade ótima para “pescar” e “passar férias”, com praias com muito areal. A publicação destaca o Baleal e a rota pela Ilha das Berlengas.
  2. A Foz do Lizandro e a “praia de surf de classe mundial”: cerca de 15 minutos a pé desde a Ericeira, dá-se especial atenção aos dois campeonatos internacionais de surf que este local recebe todos os anos.
  3. Mais perto da Comporta, no Cais Palafítico da Carrasqueira, uma “meia ilha do tesouro, meia aldeia piscatória”, é referida a cozinha de peixe e marisco d’O Rui Do Choco – um restaurante de peixe rústico.
  4. Em Sesimbra, na Praia do Meco, as dunas são alvo de elogios, tal como o Bar do Peixe, um bar onde o peixe exemplar, o stafe amigável, o por-do-sol e os quilómetros de dunas não são esquecidos.
  5. Por fim, a sul, na Ilha de Deserta, em Faro, é realçado o facto de esta ilha ser mesmo “quase” deserta, pacífica, contendo apenas um restaurante de verão – Estaminé -, um morador e um pescador.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cidades

"Smart Tourism" - turismo numa cidade inteligente

Miguel de Castro Neto
337

Como é que as novas tecnologias podem dinamizar o turismo, criar valor e, ao mesmo tempo, respeitar o cidadão, num contexto de uma "cidade inteligente". Miguel de Castro Neto dá algumas pistas.

Turismo

Aeroporto em Monte Real? O Centro merece

Pedro Machado
1.236

São mais de 300 quilómetros entre os aeroportos de Sá Carneiro e Humberto Delgado sem uma pista que receba companhias aéreas. É como se não existisse território entre o Douro e o Tejo.

Turismo

Pena de morte ao alojamento local

Cristóvão Norte
2.037

Os remediados, grande massa anónima do alojamento local - cujo rendimento extra transformou as suas vidas e das suas famílias - é crucificada no altar dos grandes grupos, proprietários e hoteleiros.

Fogo de Pedrógão Grande

Perdi quatro primos

Laurinda Alves

Resgatar bens e vidas não passa apenas por salvar pessoas e animais, tirando-os dos escombros. Falta reorganizar e reconstruir. Falta ouvir, conversar, validar sentimentos e perdas, avaliar cada caso.

Terceira Idade

A peste grisalha

Paulo de Almeida Sande

A velhice na sociedade actual, que nos chama velhos aos 40 e nos condena a um longo ostracismo até que a vida natural em nós se apague, 50 ou 60 anos mais tarde, é um longo, lento e doloroso naufrágio