Catalunha

Aguas de Barcelona e Lleida.net mudam sede social para Madrid

134

As administrações da Sociedade General de Aguas de Barcelona (SGAB) e da Lleida.net aprovaram a mudança das sedes sociais das empresas para Madrid, na sequência da crise política na Catalunha.

ALBERTO ESTEVEZ/EPA

Autor
  • Agência Lusa

As administrações da Sociedade General de Aguas de Barcelona (SGAB) e da Lleida.net aprovaram este sábado a mudança das sedes sociais das empresas para Madrid, na sequência da crise política que assola a Catalunha.

O Conselho de Administração do grupo Suez, à qual pertence a SGAB, aprovou hoje em Paris, numa reunião em que vários membros participaram por videoconferência a partir de Barcelona, a mudança da sede para Madrid devido “à situação política na Catalunha”, disse à Efe um porta-voz da empresa.

A decisão foi tomada com o objetivo de “preservar a segurança jurídica dos investidores” e não terá qualquer impacto no serviço prestado em todo o território catalão, referem.

Também a administração da Lleida.net, especializada na certificação e notificação eletrónica, aprovou hoje, por unanimidade, a mudança da sua sede para a capital espanhola.

Em reunião extraordinária, os administradores decidiram reduzir os “riscos” que possam afetar o normal funcionamento da empresa, entre eles a “possível perda do estatuto de operador europeu”, por exemplo, entre outros, refere a Lleida.net, em comunicado.

A Lleida.net, que se estreou no mercado de bolsa alternativo em 2015, referiu que a transferência de sede social não implica qualquer movimento de empregados e que a empresa continuará a sua atividade em normalidade absoluta.

Estas duas empresas juntam-se a um grupo de sociedades que nos últimos dias têm anunciado a mudança da sede social para fora da Catalunha, perante a possibilidade de o parlamento declarar, de forma unilateral, a independência da região nos próximos dias.

CaixaBank (que controla o BPI), Gas Natural, Sabadell, Naturhouse, Oryzon, Eurona, Banco Mediolanum, Arquia Banca ou Dogi são algumas das empresas que já tomaram a decisão de mudança da sua sede para outras cidades espanholas, aguardando-se uma posição semelhante por parte de outras sociedades catalãs como Freixenet, Renta Corporación ou Catalana Occidente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catalunha

Não é independente quem quer

Jorge Pereira da Silva
196

No actual quadro, que Estados poderão reconhecer a Catalunha como um Estado independente? Se excluirmos porventura alguns Estados párias, a resposta é simples: nenhum. Vale a pena perceber porquê.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site