Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A terceira edição da mostra de cinema “Olhares Sobre Angola” regressa esta quarta e quinta-feira à Cinemateca Portuguesa, em Lisboa. Durante dois dias, o cinema de e sobre Angola está em destaque.

O ciclo “Olhares sobre Angola” começa com a exibição do documentário “Ano Zero”, do realizador cubano estabelecido em Angola Ever Miranda Palacio, quarta-feira ao início da noite. Às 21h30, o público pode ver o documentário “Hereros Angola” sobre o grupo étnico com o mesmo nome. Habitantes das terras do sudoeste de Angola, os hereros são donos de uma tradição ancestral que é passada oralmente de pais para filhos, o que dificulta o registo da sua história.

Na quinta-feira, 3 de julho, a sessão das 19h00 propõe um alinhamento de vídeoclips e experimentais realizados por Vic Pereiró e Nástio, Jorge de Palma, Lindomar e Olímpio de Sousa, Paulo Azevedo e Binelde Hyrcam.

O encerramento fica marcado pelo filme de Jeremy Xido, “Death metal Angola”, um filme que segue o sonho de Wilker e Sonia de organizar o primeiro concerto de rock nacional, juntando membros da cena musical hardcore angolana de várias províncias. A narrativa avança no cenário bombardeado e minado do outrora imponente Huambo. Os bilhetes para cada filme custam 3,20 euros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Consulte o programa completo.

2 de julho

19h00
“Angola, Ano Zero”, de Ever Miranda Palácio

20h00
Lançamento do DVD “Mariano Bartolomeu – Curtas-Metragens 1989 – 2008”, com a presença do realizador

21h30
“Hereros Angola”, de Sérgio Guerra

3 de julho

15h30
“Aprender a ler para ensinar meus camaradas, de João Guerra

19h00
Exibição de clips e vídeos exerimentais

19h30
“Olhares Sobre…”, de Mariano Bartolomeu, com a presença do realizador

22h00
“Death Metal Angola”, de Jeremy Xido