Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Luis Felipe Scolari já não é treinador da seleção brasileira. De acordo com a Globo, Scolari apresentou a sua demissão do cargo à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no domingo à noite e o anúncio deverá ser oficializado esta segunda-feira. Com ele saem também os membros da sua equipa técnica, composta por Carlos Alberto Parreira, Fábio Murtosa, Carlos Pracidelli e Anselmo Sbragia.

A derrota frente à Holanda foi “fundamental” para que o presidente da CBF, José Maria Marin, aceitasse a demissão de Scolari, refere o Estadão. Agora, a CBF terá que escolher o sucessor de Scolari, sendo que já se encontram três hipóteses em cima da mesa. O primeiro nome, de acordo com o que o Folha de São Paulo noticiou após a derrota frente à Alemanha, é o de Tite, antigo treinador do Corinthians. O segundo nome avançado é o Muricy Ramalho, atual treinador do São Paulo que, em 2010, rejeitou um convite para o cargo de treinador da seleção brasileira. O terceiro nome é o de Vanderlei Luxemburgo, que já foi treinador da seleção do Brasil entre março e outubro de 1999.

Luis Felipe Scolari assumiu o comando técnico da seleção do Brasil no final de 2012, meses antes da Taça das Confederações em 2013. Foram 29 jogos no comando da seleção: 19 vitórias, seis empates e quatro derrotas. Este ano, no Mundial de futebol, foram sete jogos, com duas derrotas, três vitórias e dois empates.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR