O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, afirmou que pretende que o canal de televisão do clube, esta quinta feira lançado, transponha rigor e marque a diferença no panorama televisivo e não ambiciona transmitir os jogos em Alvalade.

O dirigente, que falava à imprensa momentos antes da entrevista à SportingTV, realçou que a prioridade passa por divulgar as modalidades, futebol de formação e equipa B, tudo em nome do rigor e da verdade desportiva.

“Não acredito no modelo em que os clubes transmitam os jogos de futebol em direto. Até por uma questão de coerência. Se queremos rigor e verdade desportiva não nos parece que seja bom os clubes fazerem a transmissão, até porque se há castigos que podem ser aplicados pela própria imagem poder fazer-se a manipulação da imagem”, realçou.

Espalhados por 1.500 metros quadrados, os estúdios da WorldChannels empresa que produz os conteúdos televisivos para o Sporting, sediada em Carnaxide, vão empregar meia centena de funcionários, entre jornalistas, repórteres de imagem, técnicos de áudio e vídeo que têm todo o suporte tecnológico necessário para a atividade.

Um canal diferente do inicialmente pensado em direções anteriores e que pretende, segundo Bruno de Carvalho, poupar dinheiro ao Sporting e que irá ser gratuito na distribuição por cabo.

“Havia um projeto antigo que era de gastar quase um milhão de euros num estúdio de televisão no Estádio de Alvalade. Esta direção tem outros locais onde aplicar o dinheiro, como é o caso das modalidades e nas infraestruturas. Este projeto não dará prejuízo. Não é nosso modelo ser canal pago. Queremos chegar a todos os sportinguistas”, realçou.

Para Bruno de Carvalho não existem dúvidas de que este será “o” canal “do” clube e não “um” canal “de um clube”.

“Havia um canal de clube, um semi-canal de clube, que é o Porto Canal, porque é um canal regional. Essa não é a filosofia do Sporting. Queremos que este seja o canal do clube e de referência”, concluiu.