Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um chinês de 38 anos morreu na cidade de Yumen, na província de Gansu, no noroeste da China. De acordo com as autoridades locais, a morte deu-se por peste negra. 151 pessoas tiveram de ser observadas e a cidade, habitada por 30.000 pessoas, está de quarentena.

O homem, que tinha estado em contacto com uma marmota morta, morreu na quarta-feira passada, noticia a agência chinesa Xinhua. 151 pessoas que estiveram em contacto direto com o homem foram colocadas imediatamente em quarentena para observação. De acordo com as autoridades locais, ninguém demonstrou sintomas da doença.

A cidade de Yumen tem 30.000 habitantes e, de acordo com o canal chinês CNC World, também está de quarentena. Não se pode sair nem entrar na cidade e o trânsito local está a ser desviado.

As autoridades enviaram para Yumen especialistas em prevenção e controlo de doenças para prevenir a disseminação da peste. Na lista de doenças contagiosas, a peste está categorizada como “Classe A”, a mais grave que há na Lei Chinesa de Prevenção e Tratamento de Doenças Infeciosas.

A peste bubónica matou milhões de pessoas na Europa no século XIV e dezenas de milhares na China no século XIX. É transmitida principalmente através de picadas de pulgas e pode causar gangrena, convulsões e febre.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR