Os estabelecimentos hoteleiros acolheram 13,3 milhões de hóspedes, mais 5,3% do que em 2012, e registaram 39,2 milhões de dormidas, mais 5,8% do que no ano anterior, de acordo com os dados definitivos publicados pelo INE nesta quinta-feira. Segundo as estatísticas do Turismo divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o aumento das dormidas baseou-se no crescimento das dormidas de não residentes, que subiram 8,5%, visto que as dormidas de residentes diminuíram 0,5%.

Os proveitos totais na hotelaria fixaram-se em 1,9 mil milhões de euros, 6,2% acima dos do ano anterior, e os de aposento aumentaram 7,1% para 1,3 mil milhões de euros. No conjunto de 2013, segundo o Inquérito à deslocação de residentes, cerca de 4 milhões dos residentes em Portugal efetuaram viagens turísticas em que dormiram pelo menos uma noite fora da sua localidade de residência, equivalendo a 37,9% da população residente em 2013.

Foram assim realizadas em 2013 cerca de 17,9 milhões de viagens turísticas pelos residentes, das quais 16,4 milhões (91,7%) em Portugal e as restantes 1,5 milhões para o estrangeiro, o que representou uma quebra de 2,6% face ao ano anterior. O motivo “visita a familiares ou amigos” foi o mais expressivo entre os motivos para viajar, concentrando 46,9% do total das deslocações, seguido das deslocações de “lazer, recreio ou férias”, que corresponderam a 41,5% das viagens turísticas.

As viagens “profissionais ou de negócios” reuniram 7,3% do total de viagens. As viagens realizadas ocasionaram um total de 73,4 milhões de dormidas em 2013, acrescenta o INE. O meio de alojamento preferido nas deslocações turísticas dos residentes no ano passado foi o “alojamento fornecido gratuitamente por familiares ou amigos”, que concentrou 52,3% do total de dormidas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A hotelaria (hotéis, hotéis-apartamentos, pousadas, aldeamentos turísticos, apartamentos turísticos e quintas da Madeira) abrangeu 43,7% do número total de estabelecimentos e 83,4% da capacidade instalada de camas. De acordo com os dados do Banco de Portugal relativos à rubrica Viagens e Turismo da balança de pagamentos de 2013, citados pelo INE, e pelo quarto ano consecutivo, as receitas aumentaram relativamente ao ano anterior 7,5%, totalizando os 9.250 milhões de euros. As despesas em Viagens e Turismo superaram o patamar dos três mil milhões de euros, o que representou um acréscimo de 5,9% face a 2012.