O comércio a retalho recuou 1,4% em Portugal em junho, face ao mês anterior, a segunda maior quebra dos 28 países da União Europeia (UE), que registaram, em conjunto, um aumento de 0,3%, anunciou esta terça-feira o Eurostat. Na zona euro, o comércio a retalho em junho aumentou 0,4% face a maio.

Em relação ao mês homólogo de 2013, o comércio a retalho em junho aumentou 2,5% conjunto dos 28 Estados-membros da UE, 2,4% na zona euro e manteve-se estável em Portugal. Segundo o Eurostat, o acréscimo mensal de 0,4% do comércio a retalho em junho na zona euro face a maio foi sustentado por aumentos de 0,5% da comida, bebidas e tabaco e de 0,3% do setor não alimentar.

Nos 28 Estados-membros da UE, o aumento de 0,3% do comércio a retalho resultou de aumentos de 0,5% da comida, bebidas e tabaco, de 0,3% da gasolina e de 0,2% do setor não alimentar.

Por países, enquanto os maiores acréscimos do comércio a retalho em junho face a maio ocorreram na Alemanha (1,3%), na Polónia (1%) e na Estónia (0,9%), os maiores decréscimos registaram-se na Finlândia (1,8%), em Portugal (1,4%), em Malta (1,1%) e em Espanha (0,8%).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No conjunto da UE, o acréscimo de 2,5% do comércio a retalho em junho deste ano face ao mesmo mês de 2013 resultou dos aumentos de 3,5% do setor não alimentar e de 1,8% da rubrica comida, bebidas e tabaco.

Os maiores acréscimos foram registados no Luxemburgo (12,9%), na Roménia (10%), na Estónia (7,8%) e em França (4,9%) e os maiores recuos foram observados na Eslovénia (2,6%) e na Finlândia e em Malta (ambos com quedas de 1,5%).