Esqueça o ditado que diz que não se deve julgar um livro pela capa. De acordo com um novo estudo científico, o nosso cérebro consegue determinar se uma pessoa é de confiança ou não imediatamente depois de olharmos para a sua cara.

Investigadores da Dartmouth College e da New York University mostraram a um grupo de participantes no estudo fotografias de rostos de pessoas reais e fotografias de rostos gerados por computador. De acordo com a Time, existe a teoria de que as pessoas que mais inspiram confiança são aquelas que têm sobrancelhas altas e maçãs do rosto proeminentes, enquanto as pessoas com ar menos confiável apresentam características físicas opostas. O estudo publicado no Journal of Neuroscience vem comprovar essa teoria.

Na segunda parte da experiência, os investigadores mostraram aos participantes as mesmas imagens mas apenas por 30 micro segundos. Depois, a imagem era tapada com uma máscara que impedia as pessoas de processarem o rosto. Mas o cérebro conseguia. Os investigadores descobriram que zonas distintas da amígdala cerebral, situada no lóbulo temporal, eram ativadas conforme os juízos de valor. Isto vem provar que o cérebro julga as pessoas muito antes de sabermos quem são ou o que fazem.