Investigadores japoneses desenvolveram uma tecnologia que pode ser colocada no assento de um automóvel e detetar se o condutor está embriagado, sob o efeito de drogas ou se se encontra em estado de sonolência ao volante.

Este sensor também pode ser colocado numa cama, avisando se o pulso de um paciente começa a ficar irregular ou se este está a sofrer um enfarte, segundo explica na sua edição de hoje a publicação Nikkei Technology.

Codesenvolvida pela Universidade de Hiroshima, pela Universidade de Tóquio e pela empresa Delta Tooling, esta tecnologia deteta o som e a vibração produzida pelo sistema cardiovascular.

O sensor consiste num microfone integrado num complexo e entranhado tecido espumoso que pode ser colocado no interior do encosto do assento ou num colchão sem causar incómodo nas costas.

O sistema permite captar com clareza a ‘onda’ do pulso aórtico (a mistura de som e vibração gerada pelo sistema cardiovascular na pele) sem interferência de ruído externo e, por isso, é capaz de alertar para variações ou irregularidades características do consumo de álcool ou drogas, sonolência ou paragem cardíaca.