O Governo brasileiro voltou a descartar a hipótese de um possível racionamento de energia, apesar da crise hídrica que assola uma parte do país.

Durante a 15.ª edição do Congresso Energético, organizado em São Paulo, o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, explicou que, apesar da falta de chuva em algumas zonas do Brasil, o país está “estruturalmente equilibrado”, ainda que o setor energético enfrente “desafios”.

Por seu lado, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, assinalou que a solidez estrutural do país assegura que não será necessário “impor medidas de redução da procura” como em 2001.

Durante o congresso, o professor do grupo de estudos do setor energético da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Nivaldo de Castro, salientou que a crise hídrica está a deixar o setor energético “‘stressado’ com problemas operacionais e financeiros”, apesar de tal não invalidar a consolidação do modelo energético nacional.

ISG // JCS

Lusa/fim