Casas imaginárias pintadas com tinta de spray para quem não as tem. Um artista de rua de Los Angeles, que não quer ser identificado, está a usar a sua arte para trazer ao debate social um problema bem real: os milhares de sem-abrigo que ocupam as ruas da cidade norte-americana. A ideia passa por humanizá-los ao incorporá-los em “peças” de arte.

homeless-man-art-interactive-7-605x605

Skid Robot

homeless-man-art-interactive-1

Skid Robot

Muitos dos desenhos mostram quartos inventados, com direito a camas e candeeiros fictícios, mas também poltronas dignas de reis e outras imagens que sugerem aquilo em que os sujeitos poderão estar a pensar, como dinheiro ou comida.

homeless-man-art-interactive-4

Skid Robot

homeless-man-art-interactive-9

Skid Robot

Os graffiti de grandes dimensões desenhados por Skid Robot — alcunha e nome de perfil do Instagram, rede social onde as pinturas estão documentadas — procuram representar as necessidades dos sem-abrigo e com isso passar uma mensagem social. Às pessoas carenciadas com quem se cruza tem por hábito dar algo em troca, como comida, além de alguns momentos de conversa. Da troca de conversas surgem temas a desenhar: Skid Robot pinta-lhes os sonhos. 

homeless-man-art-interactive-6-605x605

Skid Robot

homeless-man-art-interactive-5-605x457

Skid Robot

homeless-man-art-interactive-8-605x597

Skid Robot

Apesar do cariz social, o trabalho é entendido por alguns como uma forma de promoção pessoal, no sentido em que as pessoas envolvidas são encaradas enquanto adereços de uma arte considerada ilegal. Numa entrevista ao Vice, ao autor explica que há assuntos mais urgentes que devem ser resolvidos.

“O problema principal é: Porque é que esta pessoa está a dormir aqui? Há uma injustiça maior a acontecer à qual me estou a dirigir. Estou a pintar uma imagem que faz as pessoas refletir sobre as coisas: faz as pessoas parar e olhar para os sem-abrigo pelos quais passaram milhares de vezes e, provavelmente, nunca se preocuparam em ajudar”.