É conhecida por ser a “Rainha do Halloween”, diz o Independent, e não faltam motivos que sustentem a alcunha. A supermodelo Heidi Klum leva o dia das bruxas, celebrado na passagem de 31 de outubro para 1 de novembro, muito a sério, que o digam os disfarces que de ano para ano tornam-se cada vez mais elaborados e mediáticos. Isso e a festa anual que organiza há mais de uma década.

Em 2014, a também apresentadora de televisão apareceu diante das câmaras fotográficas na pele de uma idosa, literalmente. Klum estava irreconhecível com uma peruca de cabelos brancos e rugas à mistura, além do fato e do colar de pérolas a condizer com a idade sugerida. Mas este é só um exemplo do vasto reportório. Em 2012, Klum encontrou inspiração na Cleópatra interpretada por Elizabeth Taylor na longa-metragem de 1963 — nesse ano a festa onde é anfitriã foi cancelada devido ao furacão Sandy.

Apesar do sucesso dos disfarces, que os convidados dificilmente conseguem destronar, Klum gerou controvérsia em 2008 quando encarnou a deusa Kali. Grupos religiosos hindus sentiram-se ofendidos e a estrela viu-se forçada a pedir desculpa pela vestimenta: estava coberta por um fato azul, múltiplos braços e uma cabeleira farta. “Eu adorei o meu disfarce e adoro Halloween”, disse à data, citada pelo Daily Mail. “É uma das minhas alturas preferidas do ano. Já fiz várias coisas diferentes. Esta foi provavelmente a minha décima vez e eu vesti-me de tantas pessoas como Betty Boop e Lady Godiva (…) Nós não somos essa pessoa”.

Polémicas à parte, registam-se também fatos que pecaram pela falta de conforto. Foi o que aconteceu em 2009, quando Klum e o agora ex-marido foram vistos vestidos de corvos. “Foi mau. O meu marido estava a guiar e mal conseguia ver… Quando se tem um bico, não se pode falar com ninguém, não se consegue beber. Não é um bom disfarce!”, comentou ao mesmo jornal britânico. Erro que dificilmente se voltará a repetir, até porque Klum tem por hábito inovar nos fatos que vão pedindo cada vez mais dedicação — foi o caso do “corpo humano” de 2011.