Uma exposição com cem obras da coleção do italiano Franco Maria Ricci, conhecido como “líder do gosto”, com pintura e escultura do século XVI ao século XX, é inaugurada esta sexta-feira no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa.

Esta nova exposição temporária, feita em parceria com a produtora UAU, é inaugurada às 18h30, abre ao público no sábado e ficará patente até 12 de abril de 2015.

É a primeira vez que a coleção Franco Maria Ricci (FMR) sai de Itália, após a realização de uma exposição em Colorno, na região de Parma, em 2004.

Intitulada “FMR. A Coleção Franco Maria Ricci”, esta mostra temporária apresenta uma seleção das obras de arte que o designer, editor e bibliófilo, de 77 anos, nascido em Parma, foi colecionando desde os anos 1980.

A coleção privada, composta por cerca de 400 peças, ficará disponível ao público em 2015, num museu construído dentro do maior labirinto do mundo, na propriedade de Ricci junto a Parma, em Itália.

No MNAA vão estar obras de pintura e escultura criadas entre o século XVI e o século XX, de artistas como Filippo Mazzola, Jacopo Ligozzi, Philippe de Champaigne, Bernini, Canova ou Thorvaldsen, entre outros.

A mostra é comissaria por José de Monterroso Teixeira e ocupa toda a Galeria de Exposições Temporárias do Museu e ainda, excecionalmente, segundo a instituição, a biblioteca, onde se encontram reunidas algumas das edições da casa editora FMR.