Chegou a Portugal em 2012 e em dois anos abriu cerca de 50 lojas. Até ao final de 2015, a Refan, empresa búlgara de perfumaria e cosmética natural, quer abrir, pelo menos, mais 50 lojas em território nacional, e não as 80 que divulgou anteriormente em comunicado à imprensa, e criar cerca de 75 postos de trabalho. Objetivo: ter cem estabelecimentos a operar no país até ao final do ano que vem. Até à data, ajudou a empregar mais de 70 pessoas e prevê uma faturação de 3,85 milhões de euros em 2014, mais do que triplicando os valores de 2013, 1,2 milhões de euros.

“A Refan está dentro de um setor que continua a crescer em Portugal. A cosmética vale 900 milhões de euros e cresce 3% ao ano. E Portugal é um mercado estratégico para o nosso crescimento na Europa, é um dos países com mais condições para esse crescimento”, explicou Alejandro Ascencao, diretor de expansão da Refan a nível ibérico, ao Observador.

A Portugal, os produtos de cosmética da empresa búlgara chegam através do modelo de franchising, que Alejandro Ascencao classifica como um modelo de negócio “sustentável no tempo”. A chave está, para o responsável, na relação entre qualidade e preços dos produtos, na sua variedade no investimento inicial “baixo” que é exigido – 16.990 euros, sem royalties nem custos de entrada – e no acompanhamento que é dado aos empreendedores que pretendam lançar este negócio.

“Temos vários certificados e prémios internacionais que distinguem a nossa qualidade. Temos cerca de 250 referências de perfumaria e mais de 550 de cosmética natural, para além de sabões e velas artesanais/decorativas. E ajudamos a encontrar um bom local para abrir a loja, montamos a mesma e damos formação inicial, através da qual o dono de uma loja Refan tem todo o apoio para que o seu negócio comece bem”, adiantou Alejandro Ascencao.

Distinguida como o Melhor Negócio Familiar  pela revista Forbes, em 2013, a Refan tem mais de três mil lojas espalhadas pelo mundo e uma única fábrica, na Bulgária. Alejandro Ascencao explicou ao Observador que para gerir um negócio como o da empresa búlgara “é preciso ter visão e capacidade de gestão”, e saber utilizar os ‘ingredientes’ apontados pelo responsável. “Não colocamos limite de sexo ou idade a quem quer abrir uma loja nossa, o único critério que exigimos é o desejo de sucesso e perseverança“, adiantou.

A Refan comercializa perfumes naturais à medida e produtos de cosmética como sabões de glicerina, produtos de aromaterapia para banho, como sais, óleos e exfoliantes de frutos. O preço dos perfumes varia entre 5,90 e 19,90 euros, consoante o tamanho dos frascos e tem produtos de cosmética à venda a partir de 1,50 euros. As velas artesanais ou sais de banho custam, no mínimo, cinco euros.

No final de Outubro, a Refan recebeu um prémio internacional europeu para a qualidade, concedido pelo Global Trade Leaders’ Club, associação que reúne mais de 7.500 líderes no setor do comércio e serviços a nível mundial e que tem como missão promover as relações comerciais e humanas entre empresários.

Criada em 1991 por um grupo de perfumistas búlgaros, a Refan está presente em 35 países, com mais de 200 lojas na Península Ibérica. A nível ibérico, em 2013, a Refan conseguiu criar mais de 400 postos de trabalho e faturou cerca de 11 milhões de euros. Desde que entrou em Portugal, a Refan já investiu 1,2 milhões de euros no país.