Cerca de 200 pessoas deixaram hoje a Faixa de Gaza, através de Rafah, com destino ao Egito, a maioria doentes que necessitam de tratamento ou com permissão de residência no estrangeiro, indicou um responsável palestiniano.

No sábado, um responsável egípcio disse à agência francesa AFP que Rafah seria aberta entre hoje e segunda-feira, mas unicamente num sentido, para que os palestinianos no Egito pudessem retornar ao enclave, que sofre um forte bloqueio dos israelitas, sendo a única fronteira da Palestina não controlada por Israel.

“No meio do dia, três comboios com cerca de 200 pessoas deixaram Gaza com destino ao Egito através de Rafah”, disse Maher Abou Sabha, chefe da comissão palestiniana encarregado dos pontos de fronteira. Todas estas pessoas, precisou o responsável, tinham documentação do ministério da Saúde ou permissão de residência no estrangeiro.

Na segunda-feira, os estudantes que seguem cursos no estrangeiro serão autorizados a atravessar a fronteira, segundo Sabha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A fronteira com Rafah foi fechada pelo Egito a 24 de outubro, na sequência de um atentado suicida na península do Sinai, na fronteira com a Faixa de Gaza. Abriu no fim de novembro mas apenas para permitir que palestinianos bloqueados no Egito pudessem retornar à casa.

Segundo as Nações Unidas, mais de 3.500 palestinianos não podem retornar à casa desde o encerramento da passagem, na sequência do ataque suicida que matou 30 soldados egípcios.