Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ex-ministro-Adjunto Miguel Relvas pediu a António Figueiredo – o arguido no processo dos vistos gold – que agilizasse alguns processos de atribuição daqueles vistos, levando o  então presidente do Instituto de Registos e Notariado a falar com Manuel Palos, ex-diretor do SEF e também suspeito neste processo, procurando acelerar os mesmos processos.

Segundo o Correio da Manhã, o ex-governante (membro do Conselho Nacional do PSD) foi apanhado nas escutas do processo ‘Labirinto’ a fazer pedidos de desbloqueio dos processos, à semelhança do que aconteceu com Marques Mendes, que no sábado reconheceu na SIC ter feito idêntico telefonema para atribuir a nacionalidade a duas empresárias – uma moçambicana e outra brasileira – que pretendiam fazer investimentos no País.

António Figueiredo e Manuel Palos foram detidos a 13 de novembro na operação ‘Labirinto’, como suspeitos de branqueamento de capitais, tráfico de influência e de peculato na atribuição dos vistos gold, sendo que apenas Figueiredo continua em prisão preventiva – os restantes arguidos estão em domiciliária.

Segundo o mesmo jornal, a investigação identificou mais do que um telefonema de Miguel Relvas neste sentido.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR