A edição online do Diário do Povo, órgão central do Partido Comunista Chinês, lançou um portal em português para “promover a comunicação e o intercâmbio” com os países de língua portuguesa.

O novo portal propõe-se difundir “notícias de economia, política, sociedade, educação, cultura, desporto, ciência, turismo e outras áreas”, assumindo-se como “um esforço para promover o intercâmbio e o entendimento entre os internautas de língua portuguesa e a China”. A iniciativa insere-se na “estratégia global de desenvolvimento do Diário do Povo online“, que já tem também versões em inglês, russo, espanhol, japonês, árabe, alemão e coreano.

O lançamento da versão em português coincide com a abertura do primeiro encontro ministerial do Fórum China-CELAC (Comunidade dos Estados da América Latina e das Caraíbas), que reúne até sexta-feira em Pequim governantes de 34 países. Além do Diário do Povo online, também a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua e a Rádio Internacional da China têm um serviço em português.

O ensino do português na China registou grande desenvolvimento nos últimos anos devido às crescentes relações económicas e comerciais com os países de língua portuguesa, sobretudo Brasil, Angola e Portugal. No início do século XXI, em todo o continente chinês, havia apenas duas universidades com licenciaturas em português. Hoje há 18.