A Alemanha conseguiu fechar o Orçamento do Estado de 2014 com um “défice zero”, um ano antes dos planos do ministro das Finanças alemão, Wolfang Schäuble, foi hoje anunciado.

Num comunicado, o Ministério das Finanças informou o resultado e explicou que este resultou, em parte, das receitas fiscais acima das esperadas e da redução dos juros da dívida.

O Orçamento do Estado alemão para 2014 comtemplavam um défice de 6.500 milhões de euros, mas as receitas fiscais foram superiores em 2.600 milhões de euros ao esperado, em boa parte devido ao aumento da arrecadação de impostos de empresas.

Além das receitas fiscais, as receitas administrativas superaram em 2.900 milhões de euros o orçamentado inicialmente e os gastos foram inferiores em 1.000 milhões de euros dos planos originais.

A redução dos gastos, que foram os mais baixos desde 2009, resultou em boa parte dos baixos juros que diminuíram consideravelmente o serviço da dívida.

Com este resultado, a Alemanha, segundo o Ministério das Finanças alemão, obteve um excedente estrutural de 0,28% do Produto Interno Bruto (PIB), cumprindo assim a disposição constitucional de travar a dívida, que entra em vigor em 2016.

O Orçamento de Estado para 2015 aprovado pelo Bundestag (parlamento alemão) no final de novembro último foi apresentado como o primeiro com “défice zero” desde 1969, apesar de a meta ter sido já alcançada em 2014.