Os gulosos vão fazer fila para entrar no Campo Pequeno, entre 5 e 8 de fevereiro. O evento “O Chocolate em Lisboa” está de regresso à capital e, durante quatro dias, entre as 10h30 e as 21h30, todas as horas são boas para cometer alguns pecados em forma de bombons, brigadeiros e macarons.

Ao entrar na arena do Campo Pequeno, o difícil vai ser escolher. Provar alguns dos melhores chocolates do mundo ou conhecer marcas portuguesas? Ficar-se pelas marcas mais famosas ou investir nos produtos mais artesanais? Pelos cerca de 70 expositores vão estar espalhados bombons, brigadeiros, crepes, chocolate quente, bolos e pastelaria fina, macarons, trufas e tabletes, vindos de 10 países diferentes, da Suíça a São Tomé e Príncipe, passando por Portugal. Callebaut, Valrhona, Michael Cluizel, Casa Grande Chocolatier, Marbela, L’ éclair, Imperial, Mestre Cacau, Denegro e Chocolataria Equador são algumas das casas que vão estar presentes.

A acompanhar os doces haverá vinhos, frutos secos, especiarias, chás e frutas. Para quem ainda não domina o mundo das harmonizações, vão estar presentes chefs pasteleiros e mestres chocolateiros prontos a dar dicas sobre o que combina com cada chocolate e a fornecer algumas receitas gourmet, nos vários workshops, provas e demonstrações culinárias.

Entre as novidades desta edição destaca-se o espaço “O Chocolate é uma Joia”, onde serão exibidas peças originais da autoria da joalheira Tânia Gil replicadas em chocolate pelo reconhecido chef pasteleiro Anderson Miotto, do Hotel Myriad by Sana. Vai ter lugar ainda a exposição “Da Flor do Cacau ao Chocolate” que retrata a história do chocolate, desde as suas origens até ao consumo, incluindo curiosidades sobre o fabrico, composição e – sim, eles existem – benefícios para a saúde.

A entrada para “O Chocolate em Lisboa” custa 3,50 euros. Participar nos workshops e nas provas requer inscrição, com custos entre os oito e os dez euros.