O ministro da Economia vai encontrar-se em Madrid com empresários espanhóis para os “convencer a apostarem na economia portuguesa”, mas afirma que a privatização da TAP e a venda do Novo Banco estão fora da agenda. “Estou aqui para convencer os empresários espanhóis a apostarem na economia portuguesa, no setor do turismo, mas também noutros setores. Creio que precisamos de continuar a atrair bom investimento para Portugal, por forma a que a nossa trajetória económica possa continuar a consolidar-se e o desemprego possa continuar a descer”, declarou nesta terça-feira António Pires de Lima, horas antes de um jantar com um grupo de empresários que não quis revelar.

O ministro escusou-se a revelar quais os empresários presentes, afirmando que se trata de encontros privados. “[Provêm de] setores muito variados, desde a área financeira, áreas da indústria, também com o turismo. São empresas ligadas à economia real, é com essas que me interessa conversar e também explicar o que tem sido a evolução da economia portuguesa ao longo dos últimos tempos”, disse.

No entanto, questionado sobre se a privatização da TAP [o grupo espanhol Globalia manifestou interesse em novembro] e a venda do Novo Banco [o banco espanhol Santander já mostrou interesse] estarão em cima da mesa, Pires de Lima disse que o tema da TAP estará fora da agenda.

“Não vai haver nenhuma conversação privada sobre nenhum dossier em particular. Relativamente à TAP, o Governo já anunciou o lançamento da sua privatização e há um processo que tem de ser absolutamente transparente, que será alvo de propostas vinculativas por parte dos interessados até ao princípio do mês de abril. Eu não vim aqui a Madrid com o tema TAP na agenda”, salientou.

Já sobre o Novo Banco, disse que o processo não lhe toca. “Também não me compete a mim nenhuma liderança relativamente à venda do Novo Banco: é um processo que tem de ser liderado pelo Governador do Banco de Portugal e que eu espero, a bem da economia portuguesa, que corra bem”, realçou o ministro.

No entanto, o ministro ressalvou que “em contactos privados com investidores” fala-se “sobre tudo o que possa constituir oportunidade de investimento e de comércio”. “Portanto é muito natural que oportunidades de investimento em várias áreas — e também na área dos transportes — possam ser alvo de questões por parte dos empresários que vamos encontrar”, disse.

O ministro recordou que foi uma empresa catalã que ganhou o concurso de privatização da concessão dos transportes no Porto. “Portanto faz todo o sentido continuarmos muito ativos nesta agenda de atração de investimento, em várias partes do mundo e também aqui em Espanha”, concluiu.

O ministro da Economia inaugura na quarta-feira o stand português na Feira Internacional do Turismo de Madrid (FITUR). Hoje, Pires de Lima participou num painel no Fórum Global do Turismo de Espanha, manteve uma reunião com o ministro da Indústria, Energia e Turismo de Espanha, José Manuel Soria, e vai manter encontros e um jantar com investidores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR