O treinador do Benfica, Jorge Jesus, afirmou esta sexta-feira que o Panteão Nacional é o “sítio certo” para Eusébio, considerando que o antigo futebolista, falecido há cerca de um ano, nunca será esquecido.

“O Eusébio é uma referência de Portugal e acho que é uma ideia mais do que merecida. Nunca cairá no esquecimento, não só dos benfiquistas, mas de todos os desportistas. Penso que o Panteão Nacional é o sítio certo para ele estar”, disse o técnico em conferência de imprensa.

Os grupos parlamentares da maioria PSD/CDS-PP, PS, PCP, BE e ‘Os Verdes’ foram hoje unânimes em conceder honras de Panteão Nacional ao futebolista Eusébio, falecido há cerca de um ano, aprovando a resolução conjunta na Assembleia da República.

“Conceder honras de Panteão Nacional aos restos mortais de Eusébio da Silva Ferreira, homenageando o símbolo nacional, o homem solidário, o futebolista e o desportista excecional, evocando o seu estatuto de verdadeiro marco na divulgação e na globalização da imagem e da importância de Portugal no Mundo”, lê-se no documento.

Eusébio da Silva Ferreira, para muitos o melhor futebolista português de sempre, morreu na madrugada de 05 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

Também carinhosamente tratado por ‘King’, ganhou em 1965 a Bola de Ouro, que então distinguia o melhor futebolista europeu a jogar na Europa, e conquistou duas vezes a Bota de Ouro (1967/68 e 1972/73), prémio para o melhor marcador dos campeonatos nacionais europeus.

No Mundial de 1966, disputado em Inglaterra, foi um dos mais destacados jogadores da competição e o melhor marcador, contribuindo com nove golos para o terceiro lugar de Portugal.