O visionamento de imagens vídeo para ajudar os árbitros de futebol nas situações mais delicadas fica em suspenso por, pelo menos, mais um ano, anunciou hoje o International FA Board (IFAB), durante a reunião anual, em Belfast.

O organismo responsável pela alteração das leis do jogo rejeitou a proposta da Federação Holandesa de Futebol, que pretendia testar aquela tecnologia na Taça da Holanda da próxima época, alegando que precisa de mais informação antes de se pronunciar favoravelmente à sua aplicação.

O International Board voltou a manifestar-se contrário ao princípio da ‘tripla punição’, que ocorre quando um jogador evita de forma irregular um golo da equipa adversária dentro da sua grande área.

As regras atuais determinam que o árbitro deve expulsar o jogador infrator – que será posteriormente alvo de uma suspensão obrigatória – e ainda marcar uma grande penalidade favorável à equipa adversária, proporcionando-lhe uma oportunidade soberana para marcar golo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O IFAB considera que esta punição é demasiado severa e que é necessário encontrar uma solução para este assunto”, observou o diretor-geral da Federação de Futebol da Irlanda do Norte, Patrick Nelson.

A proposta da FIFA para que seja autorizada uma quarta substituição nos jogos de futebol em que seja preciso recorrer ao prolongamento foi remetida para o painel técnico do International Board para análise mais detalhada.