O fogo que deflagrou terça-feira nas fábricas da Salvador Caetano e da Dura no Carregado foi dado como extinto esta quarta-feira pelas 00:14, tendo os trabalhos sido finalizados às 03:00, segundo fonte do CDOS de Lisboa.

De acordo com a fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa, o incêndio entrou em rescaldo quase cinco horas depois de ter tido início, pelas 19:30, tendo a ultima equipa de bombeiros saído do local pelas 03:00.

Do incêndio resultaram sete feridos ligeiros – cinco funcionários e dois bombeiros, um dos quais foi transferido para o hospital de Vila Franca de Xira.

O combate ao sinistro esteve a ser efetuado por 140 bombeiros, de 14 corporações do distrito de Lisboa, que mobilizaram 39 veículos.

O fogo começou numa linha de montagem de componentes para automóveis da Salvador Caetano e alastrou a outros edifícios, alguns dos quais arrendados por esta a terceiras empresas, atingindo, designadamente, a Dura Automotive Portugal.

Esta foi a segunda vez em seis meses que a fábrica de montagem de componentes automóveis da Dura Automotive Portugal, no Carregado, foi atingida pelo fogo.

Em setembro de 2014, a unidade, localizada no concelho de Alenquer, foi atingida por um fogo que começou com uma explosão num quadro elétrico. Além dos estragos, fez dois feridos, um deles grave.

Passados seis meses, a fábrica do fornecedor mundial de componentes de automóveis voltou a ser consumida pelas chamas.