Com 28 milhões de euros pode comprar um imponente terreno italiano com um castelo medieval do século XII incluído, com 115 quartos e 100 casas de banho, e algumas quintas. E conta-se que Galileu Galilei subiu à sua torre para observar o céu noturno. Onde? Ninguém sabe. A notícia é dada pelo The Telegraph.

Sabe-se apenas que fica algures a este de Siena, na região de Toscana em Itália, e que pode ser, atualmente, a maior propriedade do mundo no mercado. São 63o hectares onde cresceram 1500 oliveiras e onde se comercializa azeite. Com um pátio com uma torre e capela. Jardins de palmeiras. Tetos luxuosamente pintados. Tudo o que torna esta propriedade tão romântica que pode ser alugada para casamentos.

Mas ninguém sabe das centenas de divisões que possui nem das piscinas. O mercado italiano não pretende desvendar a localização, por isso nem sequer o nome desta pérola histórica pode ser conhecido.

O mais provável é estar a ser vendido a uma das pessoas que detêm 99% da riqueza mundial em conjunto. Durante o século XV, a família Piccolomini esteve na posse do terreno, mas os atuais donos mantêm-na desde há 30 anos.

O agente, John Jonk, que trabalha para a Sotheby’s International, garante que é “excepcionalmente bonita. Há muitos castelos em Toscana, mas muito poucos são medievais”. E acrescenta que a propriedade foi erguida quando Siena estava em guerra com Florença. “É como entrar noutro mundo”, descreve John Jonk. Entre florestas, veados, vinhas e searas, o silêncio é absoluto.

Segundo o site The Richest, a maior casa do mundo registada é a Istana Nurul Iman Palace e é o lar do Sultão de Brunei. Tem 1788 quartos, 257 casas de banho e cinco piscinas. A este número juntam-se as 110 garagens, estábulos para 200 póneis, uma sala de banquete e uma mesquita com capacidade para 1500 pessoas. O seu valor está estimado em mais de 1,3 mil milhões de euros.