Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um grupo de deputados na França apresentou duas emendas à nova lei de saúde que o Governo do país pretende aprovar nos próximos dias para impedir que modelos com índice de massa corporal (IMC) abaixo das estabelecidas pelas autoridades médicas desfilem em território francês. A proposta proíbe agências de contratarem modelos cujo IMC seja inferior a 18 (equivalente a um indivíduo com 55 kg e 1,75 de altura, por exemplo) e prevê multas de até 75 mil euros e pena de prisão de seis meses. Conforme avança o jornal Le Monde, o objetivo dos parlamentares é lutar contra a “apologia da anorexia”.

“Não falamos de um simples magreza, mas de desnutrição. Tentar que uma modelo de 1.80 metros entre num vestido de tamanho 34 não é normal. Se uma mulher que tem o índice de massa corporal 18 é considerada demasiado gorda, então existe um verdadeiro problema”, explica Olivier Verán, deputado do Partido Socialista francês e líder da iniciativa em entrevista ao jornal Le Dauphiné Liberé. Segundo Verán, existe entre 30 e 40 mil pessoas que sofrem anorexia em França, das quais 90% são adolescentes.

A ministra francesa da Saúde, Marisol Touraine, já expressou o seu apoio nesta segunda-feira a iniciativa. “Vou apoiar as emendas. Indicar que ser modelo também implica alimentar-se e cuidar da saúde é uma importante mensagem, especialmente para as mulheres que veem um padrão estético nestas modelos”, afirmou ao Le Monde.

Uma das emendas apresentadas pretende bloquear o acesso à páginas na Internet que contenham imagens de magreza extrema ou que incitem adolescentes à anorexia. “É intolerável que se possa fazer apologia da desnutrição e que se explore comercialmente a pessoas que ponham em perigo as suas vidas”, criticou Verán.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Este não é a primeira vez que o governo francês tenta lutar contra a anorexia no mundo da moda. Em 2008, o país apresentou uma “carta de compromisso voluntário” aos meios de comunicação para incentivar campanhas de sensibilização sobre a saúde e a imagem, mas que não previa sanções ou regras. Na época, a carta foi assinada pela Federação Francesa de Prêt-à-Porter, a Federação da Alta Costura, o Sindicato das Agências de Modelo e a União de Anunciantes de França. Este também não é o primeiro país do mundo que cria uma lei para regular o peso das modelos – em Espanha desde 2006 modelos com IMC menor que 18 não podem desfilar. 

O Índice de Massa Corporal permite relacionar a massa corporal com a altura de um individuo e se calcula ao dividir o peso pelo quadrado da altura em metros. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o valor do IMC deve estar entre 18,5 e 25.

Em Espanha já tinham sido proibidas modelos muito magras nos desfiles.