Ponta Delgada

Prisão preventiva para suspeito de raptar e agredir menor em Ponta Delgada

O homem suspeito de raptar e agredida a menina de 12 anos em Ponta Delgada ficou em prisão preventiva. O suspeito foi ouvido em local desconhecido, por motivos de segurança.

A comarca dos Açores informou os jornalistas que local da audição não ia ser conhecido

EDUARDO COSTA/LUSA

O tribunal de Ponta Delgada, nos Açores, decidiu colocar o homem suspeito de raptar e agredir uma menina de 12 anos em prisão preventiva, anunciou aquela instituição em comunicado lido aos jornalistas.

O homem suspeito de raptar e agredir uma menina de 12 anos em Ponta Delgada foi num local não divulgado por razões de segurança, disse fonte da Comarca dos Açores.

A informação foi prestada aos jornalistas que estão à porta do tribunal de Ponta Delgada, pelas 12:30 locais (13:30 em Lisboa).

Nas imediações do edifício concentraram-se, ao longo da manhã, dezenas de pessoas, em silêncio, que aguardavam a entrada no tribunal do homem de 44 anos detido no sábado por ser suspeito de raptar, agredir e violar uma menina de 12 anos de quem era vizinho.

A mesma fonte da Comarca dos Açores disse que, no final da audição, o tribunal emitirá um comunicado com a decisão do juiz em relação às medidas de coação que, eventualmente, serão aplicadas ao suspeito.

A PSP revelou no domingo que uma menina de 12 anos foi encontrada “amarrada, amordaçada e com marcas de violência física”, no concelho de Ponta Delgada, e que tinha sido detido o homem suspeito de a ter raptado e agredido.

Segundo a informação divulgada pela PSP, o homem, de 44 anos, foi detido, no sábado, “por existirem fortes indícios de rapto, violação e homicídio na forma tentada”.

A Polícia de Segurança Pública disse que recebeu no sábado “a notícia do desaparecimento de uma menina de 12 anos numa das freguesias de Ponta Delgada” e que, após várias “diligências”, conseguiu encontrá-la “amarrada, amordaçada e com marcas de violência física”.

A menor estava “fisicamente muito mal tratada”, num estado que indicava que “poderia correr risco de vida”, revelou ainda o Comando Regional da PSP dos Açores.

A menina foi encontrada, poucas horas depois de ter sido dado o alerta do seu desaparecimento, na casa do homem detido no sábado, um vizinho da sua família, e está internada no hospital de Ponta Delgada, numa situação clínica considerada estável.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)