Beleza e Bem Estar

10 mitos de beleza em que deve deixar de acreditar

255

Lâminas fazem os pelos nascer mais fortes. Chocolate causa acne. Rodelas de pepino desincham os olhos... Desmitificamos 10 ideias que fariam corar a Wikipédia.

TORSTEN BLACKWOOD/AFP/Getty Images

Autor
  • Helena Magalhães

Apesar de toda a informação que existe hoje em dia, acaba por não ser fácil separar o trigo do joio. E ideias como a dos pelos engrossarem quando depilados com lâminas ou do chocolate provocar acne são o exemplo perfeito de mitos que continuam a circular. E é bem possível que dê por si a tomá-los como certos. Mas se não acredita que Michael Jackson ou Elvis Presley estão escondidos, vivos, algures numa ilha, por que razão vai acreditar que, se arrancar um cabelo branco, mais três lhe vão nascer? Não passam de mitos urbanos exagerados pela facilidade com que a informação é espalhada, hoje em dia, na internet.

Reunimos os mais comuns e explicamos, tim-tim por tim-tim, porque deve parar de acreditar neles.

Mito 1: Devemos usar produtos anti-idade a partir dos 25 anos

O processo de envelhecimento da pele é individual e pode ser influenciado por diversos fatores. Daí que, cosmeticamente falando, nos referimos à idade da pele como o diagnóstico que ela apresenta. E esse diagnóstico não está relacionado com a idade que vem no Cartão de Cidadão. Se mantivermos a pele bem hidratada, limpa e protegida do sol e dos radicais livres, ela vai desenvolver menos rugas e marcas de expressão. E os cuidados anti-idade poderão ser adiados. Resumidamente: aos 25 anos, devemos apostar na prevenção com hidratante, filtros solares e cremes com ativos antioxidantes. Aos 30 já podemos usar, além de antioxidantes, cremes que estimulem o colagénio da pele (que vamos começar a perder). Aos 40, é hora de resgatar a firmeza e combater as manchas, passando da prevenção à reparação — os produtos com ativos despigmentantes e revitalizantes vão abrandar o foto-envelhecimento. E a partir dos 50, os cremes com efeito reafirmante e ativos tensores vão atuar na flacidez e perda de elasticidade da pele.

Mito 2: Rodelas de pepino nos olhos diminuem as olheiras e o inchaço

Nos filmes e novelas, este é um cenário comum. E até faz sentido o uso do pepino, porque tem propriedades hidratantes e calmantes. Mas o que provoca a vasoconstrição e a diminuição do inchaço é o facto de as rodelas estarem geladas. Ao entrar em contacto com a pele, as rodelas frias promovem a contração dos vasos sanguíneos localizados abaixo dos olhos e, com isso, o inchaço das pálpebras diminui e as olheiras clareiam. Mas este é um efeito imediato e dura pouco. Uma boa lavagem de rosto com água bem gelada tem o mesmo efeito em noites mal dormidas.

Mito 3: Não é preciso aplicar protetor solar se usar uma base ou um creme com fator solar

Mesmo que a maquilhagem tenha filtros, o protetor solar é indispensável ao longo do dia, especialmente para quem está constantemente exposta. Se se maquilha em casa de manhã, provavelmente o filtro solar da sua base ou do seu creme já perdeu a eficácia quando chegar ao trabalho. O ideal é que o protetor solar seja aplicado a cada três horas. Se estiver maquilhada, vai ter de refazer todo o processo ao longo do dia, é verdade, mas sabemos que a vida de uma mulher não é fácil…

Mito 4: Arrancar um cabelo branco vai provocar o nascimento de (ainda) mais cabelos brancos

A única coisa que vai acontecer é a reposição do fio no mesmo lugar. Cada folículo capilar é responsável por produzir um número certo de fios ao longo da vida. Ou seja, até esse folículo se esgotar, vai continuar a produzir fios. Não se preocupe, a sua cabeleira não vai ficar grisalha. Mas por ser um fenómeno progressivo, ao arrancar um cabelo branco, o que nascer no seu lugar provavelmente também será branco.

Mito 5: Se uma mulher de 30 anos usar um anti-rugas indicado para 50 anos, vai ter um “super-efeito”

Na melhor das hipóteses, não vai ter efeito nenhum porque não há rugas, flacidez nem perda de elasticidade para combater. Aos 30 anos, a pele ainda tem capacidade de se auto-regenerar e, mesmo que esteja intensamente exposta aos agressores externos, apenas deve usar produtos de prevenção (hidratação, antioxidantes e filtro solar, por exemplo). Os cremes para 50 anos são, na maioria das vezes, mais densos e concentrados e podem mesmo levar a danos na pele: irritações, oleosidade, acne, manchas e até cicatrizes.

Mito 6: Protetor solar só é preciso no verão

Não, não e não. Os Índices UV em Portugal variam entre o moderado e o alto entre outubro e abril e muito alto entre maio e setembro, o que significa que, embora no verão a proteção tenha de ser efetiva, no resto do ano os filtros UV continuam a ser altos. Os especialistas dizem que, aos 20 anos, já apanhámos todo o sol a que temos direito na vida inteira, portanto é essencial o uso diário de filtros no rosto, pescoço, peito e mãos, as zonas expostas durante todo o ano. Quando comprar um protetor solar, escolha um que proteja contra os raios UVB (responsáveis pelas queimaduras solares e o cancro de pele, mais intensos entre as 11h00 e as 15h00) e contra os raios UVA (presentes durante todo o dia e que causam, além do envelhecimento precoce, também o cancro de pele).

Mito 7: Ao comprar uma base, pode testá-la na mão ou no braço

Bem, só se for usá-la efetivamente na mão ou no braço. Na maioria das vezes, o nosso rosto não tem a mesma tonalidade que as mãos — são áreas que têm exposição e tipos de pele diferente. O sítio correto para testar é na linha do maxilar, já que nos permite fazer uma comparação com o tom do rosto e do pescoço. A cor de base correta é a que “desaparecer”, quando aplicada. Ou seja, que não nos permita distinguir a zona com base da zona sem base.

Mito 8: Os hidratantes não são para peles oleosas

Ou neste caso, só servem para peles secas. E este é um mito que muitas mulheres ainda tomam como certo. A hidratação é fundamental em todas as idades e todos os tipos de pele. Daí que a oleosa também pode ficar desidratada e danificada e, como qualquer tipo de pele, precisa de hidratação regular. A chave é encontrar os hidratantes certos para esta especificidade – que não vão obstruir os poros (não-comedogénicos), não contenham óleo (oil free) e que regulem o excesso de produção de sebo.

Mito 9: O chocolate provoca acne

O acne é uma doença inflamatória da pele e não há estudos que provem que o chocolate, ou outros alimentos, a possam provocar. Na verdade, o acne está relacionado com a produção de sebo que, quando aumenta, obstrui as glândulas sebáceas (e não com uma visita à Hussel).

Mito 10: Depilar com lâminas engrossa os pelos

Confesse, já acreditou neste mito. Mas não passa mesmo disso. As lâminas cortam, ou seja, o fio não é extraído pela raiz. E naturalmente, os pelos são, tal como o cabelo, mais finos na ponta e grossos na raiz. O que acontece é que, quando nos depilamos com lâminas, o pelo acaba por ser cortado ao meio e a parte que fica exposta é a raiz. Daí a sensação de que ficou mais grosso.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)