Mário Soares garante que “quando” o Partido Socialista (PS) vencer as próximas eleições legislativas, fazendo de António Costa primeiro-ministro, “não haverá necessidade de mais greves de comboios ou de quaisquer outros transportes, incluindo a TAP, com o PS, não será privatizada”. A garantia do histórico líder socialista consta de um artigo de opinião no Diário de Notícias, publicado esta terça-feira, em que Mário Soares diz que “toda a gente – mesmo as pessoas com dinheiro – continua a detestar este governo”.

Para Mário Soares, as greves recentes nas empresas públicas de transportes são um reflexo da “profunda insatisfação geral dos que ainda não estão no desemprego mas que sentem, da pior maneira, as injustiças e desigualdades resultantes dos contínuos cortes nos salários e golpes contra o direito ao trabalho e dignidade dos trabalhadores”. São, também, segundo Soares, resultado da “histeria desenfreada desta política de privatizar, ou seja, de vender tudo o que é serviço e empresa pública”.

O histórico líder socialista diz, neste contexto de “destruição do equilíbrio da Segurança Social, pilar do Estado social e aumento da pobreza em Portugal”, “as próximas eleições vão ser ganhas, como dizem as sondagens e se torna evidente, por António Costa”. O líder do PS irá, assim, derrubar um Pedro Passos Coelho que “fala pelos cotovelos e continua a dizer, com o otimismo que o caracteriza, que o Governo está no melhor dos mundos, quando Portugal está a morrer aos poucos”.

Passos Coelho que, segundo Mário Soares, “pretende ganhar as próximas eleições – o que não vai acontecer – e, para isso, tem o aliado e protetor de sempre: o Presidente da República”. Mário Soares acrescenta, ainda, que nem Passos Coelho nem Aníbal Cavaco Silva “gostam” de Paulo Portas e que este “vai viajando quanto pode” porque “também não gosta deles”.