O anúncio foi feito durante o IV Festival da Canção em Língua Portuguesa de Pequim e Tianjin, disputado no domingo na capital chinesa por doze estudantes daquelas duas cidades, perante uma assistência de cerca de 150 colegas. Será um prémio anual, com o nome de um dos mais ilustres missionários portugueses estabelecidos na China no século XVII, Tomás Pereira, que foi músico e conselheiro do imperador Kangxi.

Cerca de 1.500 estudantes chineses estão a frequentar licenciaturas em português em 20 universidades da China continental.

Promovido pela Embaixada de Portugal com o apoio de várias universidades portuguesas, nomeadamente as Lisboa, Porto, Coimbra e Minho, o “Prémio Tomás Pereira” irá distinguir – já este verão – os melhores alunos de cada um dos quatro anos do curso.

Há cerca de 15 anos, não contando com Macau, apenas duas universidades chinesas tinham licenciaturas em português. O crescente interesse pelo português coincide com o rápido desenvolvimento das relações económicas e comercial entre a China e os países de língua portuguesa, sobretudo o Brasil e Angola.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O português, agora, é muito popular e quem sabe português tem mais facilidade em arranjar emprego”, disse Chen Yun (“Alice”), a vencedora do referido festival. Chen Yun, 20 anos, natural da província de Hubei, ganhou o festival com uma interpretação de um êxito da brasileira Rita Lee, “Agora só falta você”.

Devido ao peso do Brasil, que tem cerca de 200 milhões de habitantes, o português é a língua mais falada no hemisfério sul e, também, a quinta mais usada na internet, a seguir ao inglês, chinês, árabe e espanhol, e à frente do francês e do alemão.