Hoje conseguimos saber que há homossexuais a serem discriminados na Rússia ou que há uma crise na Grécia. Conseguimos ter acesso a informação de situações que estão longe, mas que aparecem próximas nos jornais e nas redes sociais. Foi a pensar nesse “envolvimento inevitável” em causas sociais, políticas ou ambientais que surgiu o Brigade.

Esta é uma nova aplicação que liga pessoas com a mesma causa ou preocupação. Com o Brigade, o utilizador encontra amigos que partilham as mesmas ideias políticas, para que possam conversar e debater sobre ações a tomar. “Democracy starts when you take a stand” — “a democracia começa quando tomas uma posição”, é o slogan.

Entre as questões colocadas à discussão, está a legalização da marijuana para fins médicos ou o controlo nutricional mais apertado dos almoços servidos nas escolas. Os utilizadores tomam uma posição e agregam-se. Cada assunto tem uma secção de comentários. O criador Sean Parker saiu há alguns anos do Facebook, empresa onde trabalhava. Desde aí, tem-se preocupado com o ativismo social – a app está ainda em versão beta, mas aceita utilizadores para os primeiros testes e já conta com 13 mil inscritos.

Mas os objetivos da equipa que fez nascer o Brigade saem dos ecrãs. O objetivo é reunir as pessoas na vida real para que façam realmente algo para mudar o mundo — seja criar uma movimento ou a organizar uma manifestação.