Mari Carmen e José Luis, os pais de Iker Casillas, não têm a mais próxima das relações com o filho desde 2010, altura em que o jogador desfez a sociedade de gestão de investimentos imobiliários que tinham em conjunto. Mas estão preocupados com o futuro do guarda-redes campeão do mundo. Numa entrevista ao El Mundo, a mãe considera que o FC Porto é uma equipa muito abaixo do que o guardião merecia.

“Não falo com o meu filho, mas quero o melhor para ele e que ninguém se aproveite dele”, disse José Luis, mostrando preocupação com o futuro do filho. “Só não quero que acabe a esfregar urinóis como aquele campeão do mundo alemão (Andreas Brehme), ou arruinado com o Vitor Baía”, disse.

Desiludidos com a forma “injusta” como Casillas sai do Real Madrid, os pais não estão mais contentes com o novo clube do guarda-redes. Mari Carmen considera mesmo que o Porto é uma equipa “de Segunda B”, o equivalente à terceira divisão portuguesa, para o filho.

“O Porto? Por amor de deus. Quando se soube que estava à procura de casa em Roma telefonei-lhe e disse-lhe: ‘que estás a fazer? Não vais’. Agora imaginem o Porto”, desabafou a mãe de Casillas. “Mandaram-no para uma ‘vaporeta’ em vez de o mandarem para uma máquina a vapor”.

José Luis tentou pôr água na fervura, antecipando que as declarações não iriam ser bem recebidas pelos adeptos portistas. “Não digas isso da Segunda B, porque eu respeito o Porto. É claro que o Iker merecia um Manchester United, um PSG… Mas não se pode decidir isso“, disse o pai, que duvida que o filho tenha recebido apenas a oferta dos dragões.

“É o que dizem. O clube filtra as ofertas e só apresenta as que lhe interessam.” Na opinião de José Luis, não é do interesse do presidente que Iker vá “para um clube poderoso para que não se repita o que aconteceu com Morata ou Morientes. Não quer que Casillas triunfe”. “Defendo que se faça um referendo sobre [o futuro do] meu filho junto dos sócios, como se fez na Grécia.”

Casillas entrou no clube ‘merengue’ com nove anos, pela mão do pai, e ali passou 25 anos. Os pais lembram que foi sempre bem tratado, até à chegada de Florentino Pérez à presidência do clube. “Nunca gostou dele por ser baixo. Ele gosta dos altos. Estava sempre obcecado por trazer Buffon”, disse Mari Carmen. “O meu Iker sofreu o que não está escrito, sofreu pressão psicológica, teve um tratamento diferente dos outros jogadores. Foi vilipendiado nos últimos cinco anos”, acrescentou.

Casillas despediu-se de forma emocionada do Real Madrid, este domingo. Recusando-se a dizer um “adeus”, Casillas garantiu – com a voz embargada – que continuará a vibrar pelo clube madrileno, embora vá lutar por títulos no clube do dragão. E deixou um pedido: que se recordem dele como uma “boa pessoa”.